O Gaúcho

13/12/2008


(Gaúcho do Rio Grande do Sul, no desfile da Semana Farroupilha)
História

Existem várias teorias conflitantes sobre a origem do termo "gaúcho". Pode ser que o vocábulo tenha derivado do quechua (idioma ameríndio andino) ou do árabe "chaucho" (um tipo de chicote para controlar manadas de animais). Além disso, abundam outras hipóteses sobre o assunto. A primeira vez que foi documentado o seu uso foi em torno de 1816, durante a independência da Argentina.

Segundo Barbosa Lessa em seu livro Rodeio dos Ventos, publicado pela Editora Mercado Aberto, 2a edição, o primeiro registro da palavra se deu em 1787, quando o matemático português Dr. José de Saldanha participava como integrante da comissão demarcadora de limites na fronteira do Brasil com o Uruguai. O registro se deu em uma nota de rodapé em seu relatório de trabalho.

O termo originou-se na língua indígena da descrição de pessoas de hábitos nômades, criminosos, brancos pobres, escravos fugidos ou índios aculturados que não possuíam terras e vendiam sua força de trabalho a criadores de gado nas regiões de ocorrência de campos naturais do vale do Rio da Prata, entre os quais o pampa, planície do vale do Rio da Prata e com pequena ocorrência no oeste do estado do Rio Grande do Sul, limitada, a oeste, pela cordilheira dos Andes.

O gentílico "gaúcho" foi aplicado aos habitantes da Província do Rio Grande do Sul na época do Império Brasileiro por motivos políticos, para menosprezá-los, sendo adotado posteriormente pelos próprios habitantes por ocasião da adoção da forma de governo republicana (1889), quando valores culturais tomaram outro significado. Também importante para adoção dessa imagem mítica para representação do Estado do Rio Grande do Sul é a influência do nativismo argentino, que no final do século XIX expressa a construção de um mito fundador da cultura da região.

Na Argentina, o poema épico Martín Fierro, de José Hernández, exemplifica a utilização do elemento gaúcho como o símbolo da tradição nacional da Argentina, em contradição com a opressão simbolizada pela europeização. Martín Fierro, o herói do poema, é um "gaúcho" recrutado a força pelo exército argentino, abandona seu posto e se torna um fugitivo caçado. Esta imagem idealizada do gaúcho livre e altivo é freqüentemente contrastada com aquela dos trabalhadores mestiços das outras regiões do Brasil.

Os gaúchos apreciam mostrar-se como grandes cavaleiros e o cavalo do gaúcho, especialmente o cavalo crioulo, "era tudo o que ele possuía neste mundo". Durante as guerras do século XIX, que ocorreram na região, atualmente conhecida como Cone Sul, as cavalarias de todos os países eram compostas quase que inteiramente por gaúchos.


Música

Existem vários ritmos que fazem parte da cultura gaúcha, mas a maioria deles são variações de danças de salão centro-européias populares no século XIX. Esses ritmos, derivados da valsa, do xote, da polca e da mazurca, foram adaptados como vaneira, vaneirão, chamamé, milonga, rancheira, xote, polonaise e chimarrita, entre outras.

O único ritmo que realmente é gaúcho é o bugio, criado pelo gaiteiro Wenceslau da Silva Gomes, conhecido como Neneca Gomes, em 1928, na então província de São Francisco de Assis. Inspirado no ronco dos bugios, macacos que habitam as matas do Rio Grande do Sul, o ritmo foi banido de lá por ser considerado obsceno, mas foi cultivado em São Francisco de Paula, onde até hoje é realizado o festival nativista "O Ronco do Bugio".

A partir de 1970, com a criação da Califórnia da Canção Nativa em Uruguaiana, começaram a surgir festivais de música nativa, que incentivaram o surgimento de novos estilos, de músicos e compositores, naquilo que passou a ser chamado de "música nativista". A música nativista na verdade é formada por ritmos que já existiam, com destaque para a milonga e o chamamé, porém com canções mais elaboradas e com letras quase sempre dedicadas ao Rio Grande do Sul.


Vestimenta ou Indumentária
A pilcha é a indumentária do gaúcho. O traje típico do gaúcho inclui o seu pala (ou poncho) que é um sobretudo que pode servir de cobertor para dormir, um facão ou adaga (ou facón, em castelhano), um relho (ou rebenque) e as calças largas chamadas bombachas, presas às suas cinturas por um tipo de cinto denominado guaiaca (ou tirador, em castelhano). São complementos as botas, o chapéu de barbicacho e o lenço no pescoço. Pode carregar boleadeiras (bolas ou boleadoras, em castelhano), uma soga (corda) de couro torcido ou trançado com duas pedras redondas amarradas em cada uma de suas extremidades e outra soga (corda) de couro atada no meio dela com uma pedra menor na extremidade, sendo chamada de Pedra Chica, formando uma ferramenta para caça ou captura de animais com três pedras muito utilizada no pampa gaúcho, em comparação com o lariat ou riata do cowboy , vaqueiro norte-americano.


Palavras e expressões regionalistas :
  O falar gaúcho
O dialeto gaúcho , a exemplo do falar de outros locais do Brasil, possui expressões próprias em relação à língua padrão do Brasil, alguns próprios da cultura urbana do Rio Grande do Sul, e não necessariamente fazendo parte da cultura original dos camponeses denominados "gaúchos".


Veja também:
Aqui você encontra cartões virtuais lindos, de Porto Alegre.
Esse post faz parte da blogagem coletiva Coisas do Brasil 2 promovida pelo blog Leio o Mundo Assim.

19 comentários:

  1. Muito bom. As tradições gaúchas são lindas. Estive na Serra Gaúcha recentemente e voltarei sempre, por seu povo e suas belezas naturais.

    ResponderExcluir
  2. Sempre digo, se existe no Brasil alguém que dá valor às suas raízes, esses são os Gaúchos, pessoas que tenho orgulho em poder conviver aqui em Foz do Iguaçu.

    Um post muito explicativo. Valeu Du

    ResponderExcluir
  3. Pois é...sou de Sp, participando tbm do coisas do Brasil e vindo aqui te visitar, me senti em casa. Uma por adorar seu povo, suas músicas e tradição. E concordo com o Fred, onde ele diz que o gaucho é o mais patriota do povo brasileiro, mesmo que um patriotismo regional. Mas sei que muito amam esse Brasil tbm.
    Parabéns pelo post.
    Besos

    ResponderExcluir
  4. Caraca, quanta curiosidade legal!!!
    Du, seu post ficou lindo!!!

    Aqui em Porto Seguro tem muito gaúcho, e um deles inventou de colocar uma barraca de praia, e claro, o nome não poderia ser diferente: Barraca do Gaúcho. Tem churrasco, chimarrão, comíddas típicas dai, é uma coisa maravilhosa. Na alta temporada fica lotadoo de turistas gaúchos e de outras localidades tbm. E na baixa temporada ele faz uma coisa muito legal.
    Sabe essas festas tradicionais gaúchas, com danças típicas e tuudo?? Pois é!! Ele traz essa festividade pra região, eu acho o máximooo!!!

    parabéns pelo post, Du!!
    Excelente participação!!!
    Beijoos e bom fds!!!!

    ResponderExcluir
  5. E viva o Rio Grande do Sul.
    Beijão, Du!

    ResponderExcluir
  6. A la pucha!

    Com licença, minha prenda! Vou me aprochegando que a charla está flor de baguala! Eu estava passando aqui de cruzada, mas este teu texto está loco de macanudo! Se hay uma cosa que o gaúcho tem pra dar e vender, esta é a tal de tradição. Algum dos viventes sabia que existem Centros de Tradição Gaúcha (CTG) não só em todo o Brasil, como praticamente no mundo inteiro? Vão dar uma passadinha no Japão? Tem CTG. Apearam na China? O CTG está lá. Rússia? Hay CTG também. Na Europa nem se fala. Nas Américas? Pra mais de metro! Só no Rio Grande do Sul, hay pra lá de 1.400 CTGs!

    Olha, Moça! Hoje aqui neste teu rancho eu me sinto mais faceiro do que sapo em banhado!

    Toma lá um quebra-costela e um beijo!

    Sensata Paranóia

    ResponderExcluir
  7. Olha vou te dizer uma coisa, sou mineirinha de coração mas as terras gauchas me encantam.
    Cada vez que leio seus textos sobre o sul fico mais apaixonada.
    Dia virá que poderei conhecer sua terra e você principalmente, vai ser tão maravilhoso poder te abraçar bem apertadinho e dizer que te amo muito minha filha de coração.
    Obrigada por tudo estou até agora meio abobalhada com tanto carinho!
    Beijos de bom e maravilhoso fim de de semana!

    ResponderExcluir
  8. Muito bom aprender sobre a diversidade cultural deste país, enquanto passeio pelos blogs. Muito obrigada por participar!

    ResponderExcluir
  9. Voltei...rsrs
    Tem muita gente em Nova Iguaçu que nem sabe da existência do vulcão minha querida...rsrsrs
    Eu sei porque moro bem ao pé da serra do vulcão, e até hoje as pessoas montam grupos pra ver o que restou do vulcão!rsrsr
    Beijinhos e ótimo restinho de noite!

    ResponderExcluir
  10. Du, eu adoro essa blogagens coletivas culturais, porque, por mais que a gente tenha aprendido um pouco sobre cada região na escola, não pe a mesma coisa, os professores não falam com tanto amor e a gente não lê com tanta curiosidade.

    E eu adorei saber mais a origem do termo e a cultura do gaúcho.

    Parabéns pela participação, Duzinha!!!

    Um beijo grande!!!

    ResponderExcluir
  11. Incrível né?
    Sempre ouvi falar nessa palavra mas nunca me preocupei em procurar saber o por que dela.
    Ainda bem que você se deu a esse trabalho.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Também participei da blogagem coletiva. Estou visitando outros participantes e isso se tornou uma deliciosa forma de conhecer melhor esse país e outras pessoas.
    Sua postagem foi um verdadeiro banho de cultura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olha só, que tuuudo! Tinha esquecido que a Du é gauuucha, tchê!
    Acho muuuito gostoso presenciar essas tradições e diferenças, sabia? É um mesmo país, uma mesma língua, mas as diferenças regionais sããão, em muitos Estados, enoooormes... ADORO! E admiro muito que um Estado e seu povo preservam tanto suas tradições... E eu estou aqui em Brasilia, numa cidade que luta pra construir suas proprias tradições, mas não será fácil. Temos colonias gauchas, goianas, nordestinas, mineiras...ai, ai

    Anja, beijãããão!!!!!!!!!!!!

    SAUDADES!

    Liguei pra casa do Juca, ontem!!!! =)

    ResponderExcluir
  14. Du,
    Seu Post está lindo!!!COMPLETO!!!! Assim vamos conhecendo esse Brasilzão cheio de diversidades e coisas boas.VALEU!!!!!

    ResponderExcluir
  15. Boa noite, Du. Só hoje consegui publicar teu post da Blogagem Coletiva Interlúdio com Florbela no Blog... Desculpe o meu atraso devido a problemas com conexão, e obrigada por teu carinho com a blogagem!
    Quando puder dá uma passadinha e veja se gosta:
    http://interludioemflorcomflorbela.blogspot.com/
    Abraços!

    ResponderExcluir
  16. A tradição gaúcha é fantástica.
    Me lembro dos bailes que fui.
    Cara, quando vc aprende a dançar as músicas gauchescas te garanto que não tem coisa melhor. É uma delíiiicia!
    Beijos pra vc. Ótima semana.

    ResponderExcluir
  17. Oi Du!

    Adoro o jeito de falar dos gaúchos. Acho o sotaque muito charmoso.

    Adorei o post!

    Ótima semana!

    ResponderExcluir
  18. Olá, eu tb fiz parte desta coletiva e estou terminando de conferir os posts. Parabéns, bela homenagem ao gaúcho e á cultura brasileira.

    Abraço

    ResponderExcluir
  19. boa noite,li o seu blogspot e adore estou fazendo um trabalho da facu.UNIP,sobre foclore da região sul gostaria que vc me mandasse panfletos,folder...para meu trabalho de apresentação.meu end:silcaronartes@hotmail.com se vc fazer este favor ficaria grata meu end:AV:Manuel Mendes N:65 Monte Verde Paulista Est:São Paulo,a nossa apresentação será na terça dia 09-06-09

    ResponderExcluir

^ Suba