Crônica de um grande amor

27/03/2009



Fio de cabelo

Aconteceu enquanto ele desarrumava a mala. Quando tirou uma das peças de roupa, lá estava o fio de cabelo. Lindo, fino como o de uma criança e dourado, brilhando com qualquer luz que o tocasse. Tão delicado quanto a mulher de onde ele se originou.
Ele reconheceria aquele fio em qualquer lugar. Foram 4 noites se perdendo - e, principalmente se encontrando - entre aqueles cabelos - e por todo o resto daquele corpo. As lembranças que restaram foram o carinho imenso, o amor extremo por ele recebidos. E, esperava ele, retribuídos em igual intensidade.
Agora restava aquele último fragmento dela em suas mãos. Ao contrário do que já foi cantado, aquele fio nunca esteve grudado no suor dos dois. Simplesmente caiu ali, na sua mala, talvez na hora em que ela afetuosamente arrumou-a pra ele. Mais um acontecimento, como vários outros na vida dos dois, guiado pelas mãos do destino, disfarçado de acaso.
Ele olhou demoradamente para o fio. Seus olhos se encheram de lágrimas. Tinham, ambos, suas vidas pela frente e não sabiam o que estava por vir. Mas uma certeza ele tinha: tudo o que aconteceu foi motivado pelo amor. Ele lembrou-se de cada momento que ela falou que guardaria, além de vários outros que ele marcou secretamente. E seu coração ficou mais leve, pois teve a felicidade - experimentada por poucos - de viver um grande amor. Um amor que ele carrega consigo e que lhe acalenta a alma.
Pensou em guardar o fio. Mudou de ideia. Jogou-o pela janela da sua casa e ele se foi, levado pelo vento. Guardado, ele estaria restrito a um só local, um só ambiente. Solto, ele agora fazia parte da sua cidade, como tantas outras coisas que formavam sua vida. Agora, além de carregá-la em seu coração, ele a tinha em sua cidade. E aquilo lhe fez muito bem...




Por enquanto

Mudaram as estações
nada mudou
mas eu sei que alguma coisa aconteceu
tá tudo assim, tão diferente
se lembra quando a gente
chegou um dia a acreditar
que tudo era pra sempre
sem saber
que o pra sempre, sempre acaba.
Mas nada vai conseguir mudar o que ficou
Quando penso em alguém só penso em você
e aí então estamos bem.
Mesmo com tantos motivos
pra deixar tudo como está
nem desistir, nem tentar,
agora tanto faz
estamos indo de volta pra casa....
(Renato Russo)

10 comentários:

  1. Essa música foi crucial num determinado momento da minha vida...

    Mas se tudo o que pensamos ser pra sempre sempre acaba, isso inclui as dores, ok?

    Beijos e mais beijos no seu lindo ♥

    ResponderExcluir
  2. E o que seria de nós se não fossem esses fios de cabelo e essas lembranças? Acho que sofrer por amor faz a gente se sentir um pouco mais vivo. Depois o tempo passa e a gente se conserta. Mas viver é o que conta.

    E essa música foi o hino de um amor que tive. Sofri, mas sobrevivi. Hoje tenho histórias pra contar. E lembro de vez em quando. =)

    Bjos, Du.

    ResponderExcluir
  3. Como disse a Nana,
    A dor de amor também passa.E ficam as boas recordações do que fomos, as marcas de amor no lençol, nossas melhores lembranças.
    Mas o certo mesmo é saber que chegou a hora.Dai acabou e pronto.
    É pegar a carteira de identidade, uma saideira muita saudade e a leve impressão que já deveríamos ter ido há mais tempo.
    Assim mesmo, seco.
    Pra não sofrer demais.

    Beijão do amigão!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo belo blog...

    ResponderExcluir
  5. Oi Du.
    Essa cronica é muito bonita. Mas achei de mais o comentário do amigão, é incrivel como em poucas palavras ele disse tudo.
    Quando um relacionamento acaba é lógico q agente sofre. Mas esse sofrimento para mim tem um prazo de validade que é duas semanas, choro tudo que tenho para chorar, depois disso renasço das cinzas, bato a poiera e parto para outra como disse o amigão, com a impresão que já deveria ter ido há mais tempo,é isso mesmo tipo pegue seu banquinho e saia de mancinho, pois tem muita gente boa esperando para ser amado, e não devemos chorar por quem não nos merece!!!

    ResponderExcluir
  6. Que bonita imagem! *

    ResponderExcluir
  7. Anônimo20:57

    Que linda mençagem tia. Tava saudozo dessas palavrinha, doze de sabedoria. Queria sabe onde a tia aprendi tanta coisa bunita....

    ResponderExcluir
  8. A sensação de que se libertou de si mesmo, num grande amor, é tão boa quanto aquela que temos ao nos abraçarmos a ele.
    Digo a si mesmo, pq somos mesmo apegados ao que nos tornamos, qdo estamos com o outro. E antes de deixar esse outro partir, devemos nos deixar ir e sentir que valeu à pena até mesmo os momentos tristes.

    Beijos, Duzita!!

    ResponderExcluir
  9. O fim faz parte da vida. Precisamos nos acostumar com essa parte, às vezes dolorida, às vezes aliviadora. O melhor é que ficam as boas lembranças, os bons momentos: todas as coisas que não podem ser tiradas de nós. E bola pra frente!

    Um beijo, Du. Adorei o texto. E a música.
    =*

    ResponderExcluir
  10. Tão fácil falar de amor, de dor, de desamor, de saudade...tão fácil que fica até bonito, mas e aí?
    Como sobreviver ao descobrir que pra sempre também acaba?

    Força querida flor
    bom final de semana
    beijos carinhosos

    ResponderExcluir

^ Suba