Doidas e Santas!

16/03/2009



Toda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem o amor, a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar nosso poder de sedução para encontrar “the big one”, aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá pra ocupar uma vida, não é mesmo? Mas além disso temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir, às vezes, que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo pro alto e embarcar num navio pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar uma cafetina, sei lá, diga ai uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha.
Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e diga se ela não tem ao menos três destas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascinante.
Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham. Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota. Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira pra ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada? Você vai concordar comigo: só sendo louca de pedra.

Martha Medeiros [pág 211- Doidas e Santas ]


13 comentários:

  1. E santidade não me veste...

    E lá vem Martha gritando o que pensamos e gostamos de ouvir.

    lindo dia flor querida
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Du,

    Gosto muito da Martha Medeiros,como poucos,ela sabe chegar ao ponto em que quer atingir com suas palavras,direitinho.

    Uma semana repleta de amor e paz para você também!

    ResponderExcluir
  3. E não é que ela tem razão? hahaha. Muito bom!

    Bom começo de semana!
    Beijos ;*'s

    ResponderExcluir
  4. "Vontade de Viver até a Última Gota"
    E viva! Adorei, Du. É verdade, precisamos nos transformar diariamente em um monte de coisa; em tudo, em nada, na melhor, na, na, na... É! Sou pirada mesmo e me preparo para ficar pior ainda...rs
    beijãozão, moça dos sonhos!

    ResponderExcluir
  5. Eu nem precisava ler os argumentos para concordar com a Martha, eu sei por "experiência própria". Somos loucas, de lua, de fases, complexas, estranhas, incompreensíveis... Mas você consegue imaginar a vida de uma mulher se ela não for assim, tão flexível? É nossa arma secreta. E é por isso que homem nenhum entende, essa coisa de camaleoa, né, Du? =)

    Adorei. Uma vez li uma entrevista com a Martha Medeiros e ela comentava desse livro... Desde então fiquei com muita vontade ler.

    beijos!

    ResponderExcluir
  6. Martha Medeiros deveria ser leitura obrigatória...

    Beijos meu anjo

    ResponderExcluir
  7. Anônimo12:55

    Que bacana esse texto. Não li a Martha Medeiros mas já quero ler. Gosto muito desse tom conversado que alguns escritores conseguem ter.
    E eu sei bem como é ser mulher, como é ser louca. Essa loucura que as vezes fascina, outras amedronta.
    Lembro imediatamente da Bethânia cantando: E aí, eu comecei a cometer loucuras...hahaha!
    Bjus Du!!!!
    Dani M.

    ResponderExcluir
  8. Muito, muito, muito legal Du. Gostei demais do texto.

    ResponderExcluir
  9. Sabe as santas? Vai saber por quais motivos tanto rezam...
    Leio uma ou outra coisa da Martha, na Revista O Globo, mas ainda não a conheço tão bem como queria ou deveria.

    Beijão do amigão!

    ResponderExcluir
  10. Duzinha, toda mulher é complicada!!! :o)

    ResponderExcluir
  11. Adorei.... Martha Medeiros é maravilhosa.... preciso ler esse livro.

    ResponderExcluir
  12. Amei seu blog, tô te seguindo, amo demais a Martha! Beijos

    ResponderExcluir

^ Suba