Eternal Sunshine of the Spotless Mind

29/04/2009

"E se você pudesse apagar de sua memória todos os eventos que causam alguma dor ou trauma psicológico? Como seria esse eterno recomeçar? Será que estaríamos fadados a cometer os mesmos enganos e viver os mesmos sentimentos?

Como escolher somente um filme, dentre tantos que eu amei? Qual o critério que eu devo usar? O filme marcou de que forma?
Foram estas perguntas que me afligiram antes de fazer este post para a blogagem coletiva "O filme da minha vida" promovida pela Vanessa, do blog Fio de Ariadne.

Foi muito, muito difícil... Então lembrei de um filme muito especial, por tudo o que ele representou na época em que assisti. Quem me falou dele pela primeira vez foi o dono do amor mais bonito que já vivi na vida. Ele mora em outro estado, a milhares de quilômetros de mim e o romance tinha todos os ingredientes para não dar certo, devido a distância e principalmente pela minha incapacidade de lidar com a situação toda. Mas de qualquer forma, este amor permaneceu em mim desde os últimos dias de 2006 (que foi quando o conheci) até meados de 2008. Hoje restam lembranças muito vivas que ficaram tatuadas na alma, e ao contrário da história do filme, não quero apagar de jeito nenhum, porque foi  uma história de amor linda e real! Eu era a "Bolachinha" dele e ele era meu "Bichinho" - era assim que carinhosamente chamávamos um ao outro... e fui amada de verdade por um homem que fez por mim o que ninguém nunca fez... e o amei com todas as minhas forças também. Mesmo que tenha sido um amor impossível sob vários aspectos, agradeço a Deus por ter tido o privilégio de ter vivido o que vivi com ele - coisa rara hoje em dia - amor de verdade! Uma história que merecia virar filme ou no mínimo, um livro. Quem sabe um dia eu escrevo?

Ai, ai...
Bom, quando ele me falou deste filme eu lembro que disse que não queria assistir porque não gostava das caricaturas do Jim Carrey, não imaginava que ele fosse capaz de fazer um papel "sério"! Mas o Bichinho disse que o Jim estava incrível no filme, então eu quis conferir de perto.
Foi um tremendo "cala-a-boca" para mim mesma! Qual foi a minha surpresa quando Jim Carrey me fez chorar? Neste filme, ele atua como uma pessoa extremamente triste e estranha ao nosso mundo cruel. Junto a Kate Winslet, formam um dos casais mais belos que já vi no cinema. Ela é linda e extravagante. As cenas surreais das memórias sonhos são fascinantes!

Eu sei que existem várias maneiras de se contar uma história de amor e esta para mim, foi uma das mais originais. O filme fala basicamente sobre a memória e levanta a questão sobre a possibilidade de se apagar um grande amor da sua mente. Se você acabar com as lembranças, o amor acaba também? A memória dolorosa de qualquer experiência ainda é melhor do que nunca ter experimentado a dor? Quem já não quis esquecer alguém do dia para noite? Eu já... e vocês?
Este é um daqueles filmes que a gente tem que ficar ligado e prestar atenção, a história é de difícil compreensão porque tem o roteiro todo desestruturado - original mesmo - e canção que fecha o filme “Everybody´s Gotta Learn Sometimes” é quase como uma facada no coração!!

Se alguém um dia teve um relacionamento que marcou sua vida, não tem como sair ileso depois de assistir "Brilho eterno de uma mente sem lembranças"!

Num dia destes, quando meu coração sentiu saudades, procurei o vídeo no You Tube da música que eu ouvi mais de mil vezes naquela época e qual foi a minha surpresa? Fizeram um vídeo da nossa música com algumas das cenas mais importantes do filme - não, a música não faz parte da trilha sonora! Coincidência então? Não. "Foi mais um acontecimento, como vários outros, guiado pelas mãos do destino, disfarçado de acaso."
 Infelizmente a incorporação do vídeo foi destivada, por isto não posso colocar aqui no blog, mas quem quiser ver, está aqui o link. 

"Abençoados os que esquecem,
porque aproveitam até mesmo seus equívocos"
[Friedrich Nietzsche]

46 comentários:

  1. Du..voltando com saudades.
    Que belo texto hem sobre essa postagem coletiva. Passei agora mesmo no Ariane e deixei lá, já q não participei, 3 filmes q me marcaram, marcaram mais pq nao esqueço, sempre q me perguntam sobre filmes falo esses mesmo hahaha.
    Ladrões de sabonete
    Nove semanas e meia de amor
    Meu pé esquerdo.
    Esse ultimo recomendo mesmo, muito bom para quem gosta de drama e realidade.rs
    Bom te ler sempre;0

    Besos

    ResponderExcluir
  2. Duzinha,

    Você escolheu falar de um filme que eu também amei! Realemente tudo nesse filme é mentira e surrealismo, mas isso não tira em nenhum momento toda a emoção que ele carrega. É um filme complicado mesmo de entender devido a estrutura, mas é facílimo de entender os sentimentos que o envolvem. Eu já quis esquecer e também já não esquecer certas coisas ou pessoas, mas acabo achando que até sofrimento nos faz bem de algum jeito e que passamos pelo que precisamos passar para sermos mais felizes depois. Então não quero apagar nenhum amor (ou desamor) que tive, quero viver o próximo e, se for preciso, sofrer de novo.

    Beijos, Duzinha!!!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, Du, você escolheu um filme incrível, maravilhoso, sensacional. São tantos os filmes bons... Falarei deste filme no blog um dia desses e peço permissão para citar seu post, com os devidos créditos , é claro!

    obrigada por participar,

    abraço

    ResponderExcluir
  4. Não assisti esse filme. Vou lá conferir o vídeo. Que bom que é termos lembranças assim como você as tem: de um amor que te realizou e fez tanto bem ao seu coração. Fico feliz por você.

    ResponderExcluir
  5. Oi Du,
    Que bela escolha! Mas acho que gostei mais da sua postagem do que do filme! :) Voce escreve muito bem e acho que deve escrever um livro sim! Voce já ganhou uma leitora! Sério!

    Beijos e Parabens!

    ResponderExcluir
  6. Du,

    Esse filme mexeu muito comigo. Vi muitas vezes. A história é perfeita e adoro o Jim Carey e ele mostrou seu lado dramático nesse filme. Eu fiquei maluca quando vi pela primeira vez. Achei o enredo muito rico e adorei a Clementine. Apagar coisas da memória é coisa que o tempo faz. Quando eu ficar bem velhinha, se eu tiver essa chance, aí sim vou esquecer certas memórias. Por enquanto quero colecionar todas e aprender sempre. Não tenho medo de lembrar e me arrepender de certos fatos. E minhas histórias se amor são muito boas. Eu consigo rir e chorar quando lembro delas.

    Beijos, Du. =)

    E adorei a música.

    ResponderExcluir
  7. Oi eu trabalho com isso e sei que não precisa de injeção para transformar um sentimento. Precisa de paciência, elaboração e tempo. Não é fácil, mas também não é impossível e muito mais seguro.

    Eu assisti o filme e vi a confusão que deu para o personagem, essa tentativa, sei que dói,e a vontade que dá é que acabe logo, mas esse tipo de experiência faz amadurecer.

    É melhor fazer com os velhos métodos.

    Abraço! Também estou participando.

    ResponderExcluir
  8. Du, eu tb nao sou fa dele nao. Mas amei este filme. Você tem toda a razao.

    Um beijao

    ResponderExcluir
  9. Du, esse filme realmente é lindo creio que mexeu com todos que assistiram. Acho que vou até alugar para assistir nesse feriadão!!^^
    Mas do post todo, o que eu mais gostei foi: "Eu era a "Bolachinha" dele e ele era meu "Bichinho"
    Lindo, lindo e lindo!!! Coisinha mais cuti-cuti!!
    Não pode mesmo apagar um amor assim!!!^^

    Te amo, Duu!!!

    ResponderExcluir
  10. Nunca vi esse filme, mas depois desse post fiquei curiosa, parece ser bom! :)

    Bjoo

    ResponderExcluir
  11. Oi,
    Cheguei até aqui por causa da Blogagem Coletiva, tb estou participando!
    Realmente esse filme é genial, tenho o DVD dele, muito bom! E Jim Carrey é excelente ator!
    Bjos,
    Paulinha

    ResponderExcluir
  12. Du
    Prazer passar por aqui!
    Não me lembro de ter visto este filme, mas o ser relato é notável.
    Sua história não é menos interessante...
    Beijinho
    Marie

    ResponderExcluir
  13. Oi Du,

    Quando assiti esse filme, a primeira impressão não foi tão boa. Acho que devido à complexidade, fiquei meio confusa. Mas, depois, durante uma discussão, vi que era tão inteligente que quis assistir de novo.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  14. Du, excelente blogagem, o filme da minha vida Casablanca, a musica me marcou e ainda mais que um dia viajando, entrei no aviao indo do Marrocos para Espanha, e assoviva esta musica.Era a ultima viagem internacional eu fazia com o grande amor de minha vida, meu esposo, depois disto as coisas mudaram, as fotos eu conservei, mas o amor Deus me curou, pra que não se torna se uma cicatriz incuravel]Beijos neste seu lindo coração,
    amores são assim uns vem outros vão, outros ficam...

    ResponderExcluir
  15. se é pra falar de filmes, há tantas q nos fazem viajar na maionese. Dá pra fazer um post em quilometros por hora e bater na realidade de uma pra outra.

    Se eu tivesse de escolher um filme aqui agora, seria "Reine Sobre Mim". (Vc já viu? Fica a dica)

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia esse filme,

    mas pela forma como ele te marcou, penso que vale a pena vê-lo!

    Mas se um dia vc escrever seu livro, já tens a primeira leitora, é só avisar!


    beijinhos,

    ResponderExcluir
  17. É um dos meus filmes favoritos. Eu amo! Já o assisti várias vezes.

    Parabéns pela postagem!


    Bj

    ResponderExcluir
  18. bela postagem, adorei!! assisti este filme , realmente é muito lindo.

    bjocas.

    ps: tbm estou participando, venha dar uma olhadinha.

    ResponderExcluir
  19. Du achei interessante a blogagem do filme tchauuuuuuuuUUUUUUu

    ResponderExcluir
  20. du achei interessante a blogagem ti amo Duuuuuuuuuuu :):):):):):):)

    ResponderExcluir
  21. OLÁ ! COMO VAI?
    espero que bem! ;)passei bem rápidinho. Espero sua visita.
    em relação ao filme me parece ser muito bom, nunca havia assistido!
    mas vou procura -lo p/ conferir.

    um grande abraço,
    fica com Deus, cuide-se bem!

    ResponderExcluir
  22. Oi, Du! A tua escolha foi magistral! Esse filme é mesmo uma facada no peito, um murro no estômago, um susto de te deixar sem ar, especialmente se a gente tá muito a fim de esquecer alguém que não encaixa mais em nossa vida.

    Adorei tua escolha e amei suas palavras!
    Um beijos, chuchu!
    =*

    ResponderExcluir
  23. Já assisti inúmeras vezes este filme. Simplesmente magnífico por retratar as diversas emoções ligadas a nossa memória.

    Parabéns pela postagem!

    Aguardo sua visita!

    ResponderExcluir
  24. É uma linda canção, e um belo filme.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  25. Olá

    Há moito tempo que nao veio um filme. Anotarei este título , gosto mesmo do Jim Carrey.

    O amor tem um aspecto biologico. Com memoria ou sem ela , há quem nos atrae sempre.



    Beijos.

    ResponderExcluir
  26. uau..que postagem de qualidade..
    excelente.
    como todo o blog..
    bjs

    ResponderExcluir
  27. Du, não esquece de me avisar quando chegar aqui em Sampa!!!!!!

    Besos

    ResponderExcluir
  28. Os amores impossíveis realmente deixam tatuados na alma todos os momentos vividos.e não queremos nunca apagar essas lembranças.
    Beijos com carinho e uuma feliz quinta.
    Cleo

    ResponderExcluir
  29. Adorei a escolha. Estou facinada com com a seleção de filmes do pessoal.
    Tb estou participando. Se quiser dar uma olhada nos meus no 'Façamos um Brinde'.
    Beijo e otimo fds.

    ResponderExcluir
  30. Olá Du,

    muita gente já me falou a respeito deste filme, uma amiga ficou estarrecida quando disse que ainda não tinha assistido. Agora, depois de ler seu post (perfeito) tenho a obrigação de assistir. VOu ver se encontro.

    Parabéns pela postagem, abraços.

    ResponderExcluir
  31. Oi, Du!

    Nossa... não assisti esse filme por preconceito (não gosto do Jim Carey) mas agora vou assistir, sim! Valeu pela dica!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  32. "Abençoados os que esquecem,
    porque aproveitam até mesmo seus equívocos"

    adorei.

    Esse filme é LINDO! Eu amei, já assisti duas vezes. Muito bem escolhido.

    deixo esse vídeo, então... É uma das partes que mais gosto:

    http://www.youtube.com/watch?v=eeNOYHb8924&eurl=http%3A%2F%2Fwww.orkut.com.br%2FFavoriteVideos.aspx%3Fuid%3D5978114234114942980%26na%3D3%26nst%3D16%26nid%3DdWlkXzI0NzY1Mzc5NnxmdF92aW&feature=player_embedded

    beijão, Du

    ResponderExcluir
  33. Não conheço o filme mas parece bom. Vou tentar procurar no Clube Video
    Um beijo

    ResponderExcluir
  34. Olá, Du,
    Nossa, o teu post está maravilhoso, excelente!. Você escreve com tamanha harmonia. Eu não assisti ao filme da tua vida, mas já anotei na minha lista dos filmes obrigatórios!
    Muito obrigada pela visita!
    Abraços,

    ResponderExcluir
  35. Não assisti a este filme mas seu texto me deixou curioso e propenso a aturar do protagonista.
    Obrigado pela visita ao meu cantinho de rabiscos.

    ResponderExcluir
  36. Mais um filme que não vi. Essa blogagem ao que parece vai ser uma aula para os cinéfilos.

    Bj Du.

    E gostei da frase Nietzsche no final. Um dos meus companheiros de jornada... Nesses dias vou escrever um texto sobre ele.

    ResponderExcluir
  37. Pois é às vezes é difícil escolher no meio de tantos que nos marcam ao longo da vida!

    Gostei do blogue! Parabéns!

    Bjs Susana

    ResponderExcluir
  38. Nossa, Du, ontem mesmo eu estava comentando desse filme com a minha irmã, estávmaos conversando exatamente sobre esse assunto: Será vantajoso apagar as memórias doídas e desagradáveis? E a minha resposta é não, não é. Não é porque nossas memórias são parte do que vivemos. E nós somos o que nós vivemos. Mesmo que seja difícil, mesmo que sejam doídas, sei que algumas pessoas têm problemas com memórias ruins, porque trazem sentimentos ruins... Mas, pra mim, a solução nunca será apagar a lembrança do que é ruim, mas tornar aquela lembrança em algo que não machuque. Reter tudo de bom que ela nos proporciona, todo o aprendizado, e afastar apenas o sentimento desagradável que ela traz.
    E como eu costumo dizer, minha memória já é tão ruim que se eu resolver apagar alguma coisa fico sem nada! rsrsrs.

    beijos, Duzinha!

    ResponderExcluir
  39. Uau!

    De fato, é mta responsabilidade eleger um filme 'como o filme da sua vida'. Acredito que seja até mais difícil que escolher um livro.

    O brilho eterno de uma mente sem lembranças é um excelente filme não somente pelo enredo, pelo Carrey ter feito um personagem atípico do seu rol artístico, mas principalmente pelo jogo de cenas no embate psíquico. Foi um dos primeiros filme 'estranhos', sem linearidade que cativaram um público extenso e multi.

    Eu confesso que, qdo eu tive o privilégio de assisti-lo, eu não estava preparada para tanto embate. Mas, para além disso, ele é lindo demais, mesmo quando não é o amor devotado que está em foco.

    Eu pensei mto em participar dessa blogagem, mas não o fiz pq não consegui parar em frente ao pc especialmente para falar do filme da minha vida, mesmo que eu nem tenha precisado pensar mais de duas vezes para saber qual é.

    Poderia ser algum do Woody ou do Almodóvar, mas o filme da minha vida é exatamente um filme de sessão da tarde: Curtindo a vida adoidado! Ahahaha

    Nossa, sempre que o assisto, me vem lembranças singelas e vespertinas com meus irmãos ainda travessos. Foi uma época gostosa, que sempre é remontada quando assisto. Não enjôo nunca. Adoooro.

    Pounxa, pounxa. Um dia faço um extra no blog sobre esse grandississimo filme. Aahaahaha

    Xêro, Du!

    ResponderExcluir
  40. Du muito obrigada pela sua visita e muitas vezes os atores nos surpreendem.Foi o que aconteceu com o filme que escolhi para postar.Se você assistir ao filma "À espera de Um Milagre",tem um ator que não sei o nome, mas ele participou de um clipe de Madonna,"Beautiful Stranger".Fiquei surpresa coma atuação dele, ainda mais que a maioria de seus trabalhos são de humro.
    Sobre sua história de amor, posso te escrever uma frase que diz:"NEM TOADS AS LINDAS HISTÓRIAS DE AMOR ACABAM NUM FINAL FELIZ."Ou seja, não quer dizer que você ficará sua vida toda com o seu grande amor, muitas vezes é melhor só guardar belas lembranças.Um forte abraço, bom feriado, beijos.

    ResponderExcluir
  41. Que dificuldade, eu pensei em vários filmes, mas... Tão difícil: sociedade dos poetas mortos??? Não sei, tem tantos outros: Don Juan de Marco... afff
    Beijos e bom feriado pra ti

    ResponderExcluir
  42. Du, que beleza de postagem, parabéns!!
    Eu sem tempo e ainda por cima com virose, me resta ficar quietinha admirando vocês.
    Voltando aos poucos.
    Saudades
    lindos dias flor querida
    beijos

    ResponderExcluir
  43. Du,
    sempre quis ver este filme, mas por alguma razão, ele não chegou em minhas mãos. rss
    Fiquei mais cuiriosa ainda, dpois de ler seu post. Com certeza, ele ja está na lista.

    Adorei a blogagem, pois ela me trouxe até aqui. Voltarei mais vezes. Um bj.

    Gil

    ResponderExcluir
  44. Du, que texto lindoo! Que filme lindo! Que música linda! Que blog maravilhosooooooooooooo!!!!!
    Prazer em conhecê-la!
    Além do Sem Censura, tenho um blog mais intimista, é o http://jardimsecreto09.blogspot.com

    beijossssssssss

    ResponderExcluir
  45. Já me apaixonei pelo filme sem nem mesmo tê-lo assistido... E quem é que não fica morrendo de vontade de assisti-lo depois de um toque seu, Duuuu???

    Linda a sua "memória" do filme... Vou procurar!!!

    Beijos, Duzinha!

    ResponderExcluir
  46. Um dos melhores filmes que eu já vi!
    E o teu é um dos melhores blogs que sigo..

    e faço questão de indicar!!

    Beijo

    ResponderExcluir

^ Suba