Fragmentos de Paulo Leminski

28/09/2009

Voltamos com casa reformada, espero que gostem!
Que todos tenham uma excelente semana iluminada de amor e principalmente, muita PAZ!
 

RUMO AO SUMO
Disfarça, tem gente olhando.
Uns olham pro alto,
Cometas, luas, galáxias.
Outros olham de banda,
Lunetas, luares, sintaxes.
De frente ou de lado,
Sempre tem gente olhando,
Olhando e sendo olhado.
Outros olham para baixo,
Procurando algum vestígio
Do tempo que a gente acha,
Em busca do espaço perdido.
Raros olham para dentro,
Já que dentro não tem nada.
Apenas um peso imenso,
A alma, esse conto de fada
Abrindo um antigo caderno
foi que eu descobri:
Antigamente eu era eterno.
Tarde de vento.
Até as árvores
querem vir para dentro.
SE
se
nem
for
terra
se
trans
for
mar
A noite me pinga
uma estrela no olho
e passa.
INCENSO FOSSE MÚSICA
isso de querer ser
exatamente aquilo
que a gente é
ainda vai
nos levar além
nunca cometo o mesmo erro
duas vezes
já cometo duas três
quatro cinco seis
até esse erro aprender
que só o erro tem vez
AMOR BASTANTE
quando eu vi você
tive uma idéia brilhante
foi como se eu olhasse
de dentro de um diamante
e meu olho ganhasse
mil faces num só instante
basta um instante
e você tem amor bastante
um bom poema
leva anos
cinco jogando bola,
mais cinco estudando sânscrito,
seis carregando pedra,
nove namorando a vizinha,
sete levando porrada,
quatro andando sozinho,
três mudando de cidade,
dez trocando de assunto,
uma eternidade, eu e você,
caminhando junto
PARADA CARDÍACA
Essa minha secura
essa falta de sentimento
não tem ninguém que segure,
vem de dentro.
Vem da zona escura
donde vem o que sinto.
Sinto muito,
sentir é muito lento.
Ontens e hojes, amores e ódio,
adianta consultar o relogio?
Nada poderia ter sido feito,
a não ser o tempo em que foi lógico.
Ninguém nunca chegou atrasado.
Bençãos e desgraças
vem sempre no horário.
Tudo o mais é plágio.
Acaso é este encontro
entre tempo e espaço
mais do que um sonho que eu conto
ou mais um poema que faço?
DESENCONTRÁRIOS
Mandei a palavra rimar,
ela não me obedeceu.
Falou em mar, em céu, em rosa,
em grego, em silêncio, em prosa.
Parecia fora de si,
a sílaba silenciosa.
Mandei a frase sonhar,
e ela se foi num labirinto.
Fazer poesia, eu sinto, apenas isso.
Dar ordens a um exército,
para conquistar um império extinto.
RAZÃO DE SER

Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece,
E as estrelas lá no céu
Lembram letras no papel,
Quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?
Amor, então,
também, acaba?
Não, que eu saiba.
O que eu sei
é que se transforma
numa matéria-prima
que a vida se encarrega
de transformar em raiva.
Ou em rima.
não discuto
com o destino
o que pintar
eu assino
sossegue coração
ainda não é agora
a confusão prossegue
sonhos a fora
calma calma logo mais a gente goza
perto do osso
a carne é mais gostosa
HAICAI
Para fazer uma teia num minuto
A aranha cobra pouco.
Apenas um minuto


Paulo Leminski, nascido em Curitiba/PR, em 1944, e falecido nesta mesma cidade em julho de 1989, foi um escritor muito criativo que, desde a sua adolescência, andou por caminhos pouco trilhados na literatura brasileira. Primeiro, compôs um romance experimental – Catatau – com toda a liberdade que esse rótulo implica: neologismos, prosa bêbada, duzentas páginas, um só capítulo, um só parágrafo; segundo, caminhou todo o seu tempo de vida pela poesia concreta, pelo haicai, pela poesia sintética e rítmica.

Obras de Paulo Leminski para Download



19 comentários:

  1. Fiquei fragmentado agora, pois todos os fragmentos são muito bonitos, ia escolher um e destacar aqui, mas para quê? Deixa eles onde estão...porque sentir é muito lento e é assim que tem de ser...
    Ficou show o blog, mais suave com certeza, cores leves e bem distribuido...umabraço na alma...bjo

    ResponderExcluir
  2. Du,

    Bem vinda de volta, rsrs. Gostei do novo layout, bem fácil de visualizar tudo.

    Grande abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Conheci o site pelo Insoonia e gostei muito do "Como encontrar a coragem necessária para mudar de vida"!

    Agora, um novo visual! Tá muito bom, mais organizado! Mas como agora só aparecem as duas postagens mais recentes, poderia ter a opção "postanges anteriores" ou "seguinte" (que só aparece qdo eu entro num permalink, num post em específico), pra irmos navegando como nos blogs mesmo, não só pelos arquivos.

    Valeu!!!

    ResponderExcluir
  4. A poesia de Leminski é isso de flor que nasce na rua.

    Acho que já comentei contigo pq gosto tanto dele. Pq ele não é surreal, ele é simples e divino. Adoro!
    Mto bom brindar a nova cara da moça com esse cara!

    ResponderExcluir
  5. Oi Du...
    Ficou super clean, de um ar romântico passou para o clean way.
    Gostei!
    beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  6. Oieee!!!Vixe tá tudo com cheirim de novo por aqui, adorei!!!
    Só sei que cada vez que venho aqui estou sempre aprendendo coisas novas...
    Cada vez que venho aqui, mal saio já fico com vontade voltar...e sempre volto!
    Bom te ter de volta, viu moça??!!
    Uma semana repleta de coisinhas boas pra ti^^
    Bjss no ♥
    *tem um selinho pra ti no cafofo*Ü*

    ResponderExcluir
  7. Esse espaço é muito p e r f e i t o . Eu , estou tentando reconstruir minha vida de bloguera já que meu email foi rakheado ¬¬
    Já virei seguidora de seu blog *.*

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Bem vinda..r.s. novamente...

    Que bom que vc voltou... estava com saudades dos textos e conhecimentos..

    Deste eu gostei mais assim: "Amor, então,
    também, acaba?
    Não, que eu saiba.
    O que eu sei
    é que se transforma
    numa matéria-prima
    que a vida se encarrega
    de transformar em raiva.
    Ou em rima. "

    Amor acaba?? Qdo?? Como?? Onde?? Nunca!!!

    Flor...

    Quero que leia meu post - Injeção de Ânimo... pra vc tb.. afinal, estamos em momentos parecidos da vida.. pode te ajudar....

    Bjos..

    ResponderExcluir
  9. Du, voltaste em grande estilo: nos brinda com a genialidade de Leminski!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. \o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/!!!!!!!
    Nada como uma mudada no visual pra dar uma levantada no astral, a casa da Moça esta D+!!!! Adoro de paixão esses fragmentos que vc traz, é muito legal conhecer novos autores assim…
    “nunca cometo o mesmo erro

    duas vezes

    já cometo duas três

    quatro cinco seis

    até esse erro aprender

    que só o erro tem vez”

    Bj em seu coração que amor!

    ResponderExcluir
  11. gostei daqui e vou te seguir tá?
    passa lá no meu tombemmmm-kkk
    bjus

    ResponderExcluir
  12. querida, du
    gostei muito da reforma da casa. parabéns.

    bacana esta homenagem a este que foi um dos grande poetas e pensadores deste país. como sugestão, tem um outro livro dele que se chama Vida. são quatro biografias: jesus, cruz e souza, trótski e bashô. é uma maravilha, que só poderia sair da cabeça de leminski.
    ________

    É não é que o bandido sabia latim? E de tanto bater na pedreira a pedra virou jasmim? Agora Lê em Mim, Sky de diamantes, um sonoro sim!

    beijo, denison

    ResponderExcluir
  13. Feliz retorno querida

    Estava com saudades de encontra-la aqui, Ficou tudo muito lindo, aliás, como tudo que faz!
    Está bem shabby chic e meigo.
    Tu és muito criativa amiga.
    Parabéns


    Un beso

    ResponderExcluir
  14. carinha nova por aqui, tão leve...
    adorei!
    " o que pintar eu assino"

    ^^

    ResponderExcluir
  15. Du,
    Ficou bom o novo layout.Esse blog está arretado de bom!!!Parabéns!

    ResponderExcluir
  16. Me meti a seguir sem nem me apresentar, né? rs

    Adorei esses fragmentos tão inteiros, que vez por outra até nos montam...

    Bom demais conhecer seu espaço.

    Abraços...

    ResponderExcluir
  17. Du, adorei seu espaço. Estou a segui-lo, é alimento para a alma. Beijo

    ResponderExcluir
  18. Seus fragmentos são deliciosa. Beijos

    ResponderExcluir
  19. Muito legal a matéria!

    Adorei!

    Besos

    ResponderExcluir

^ Suba