#poemando - Ela e o espelho

05/09/2011


Ouvindo o barulho das folhas secas ao vento
dispersou o pensamento
e quase conseguiu esquecer
aquela louca, desenfreada corrida contra o tempo.

Foi por pouco,
o espelho continuava ali
e ela não podia acreditar, não tinha se dado conta
que o reflexo era ela mesma,
que tinha jogado fora seu amor pela vida...

Deu um grito de raiva,
atirou o copo longe
espatifando na parede
(apenas um cristal quebrado)
"não precisava mais dele,
não precisava mais esquecer"

Afastou os cabelos
pra poder ver seu rosto
e o que tinha feito consigo mesma
já era uma estranha, sem cor
sem luz no olhar
sem o riso mesmo que forçado,
e começou a chorar,
mas nem o choro era o mesmo,
foram as lágrimas mais sentidas
que deixara cair,
as mais verdadeiras, as mais sinceras;

Chorou muito, muito mesmo
até se sentir como uma árvore
completamente desfolhada e sem raíz
e sentia uma imensa dor
do tamanho do desespero e do cansaço...
então ela adormeceu
ali mesmo onde estava
e onde se colocara há muito tempo:
no chão.
Sem perspectivas, sem ilusões, sem sonhos.

Mas enquanto dormia ela sonhou
e no sono tudo se transformava.
Acordou depois de muito tempo,
precisando sentir novamente o gosto de mel na boca
e acreditou...

Deixou que o sol entrasse pela janela e aquecesse seu coração,
e tomou uma decisão:
" Vou cobrir esse espelho
não deixarei que ele zombe de mim
não quero mais me ver assim.
Quando olhar pra ele de novo
Já não estarei no chão, vou sair dessa, vou reagir.
Vou correr com o vento
nessa louca, desenfreada
corrida contra o tempo".
Este poema "saiu" porque fiquei pensando na relação que temos com o espelho - porque ele pode nos mostrar muito mais que um simples reflexo - e no quanto temos a capacidade de nos transformar se prestarmos mais atenção em nós mesmos.
[Du]

[Republicando, mantendo os comentários originais]

Imagem daqui

10 comentários:

  1. Quem te contou parte da minha história??

    Lindo!

    bjs :*

    ResponderExcluir
  2. Du, adorei sua reflexão poética!!
    Realmente por muitas vezes me vejo assim desta mesma maneira...sem orças pra reagir ddiante da verdade que o espelho sempre nso mostra...principalmente aquelas que só nós conseguimos enxergar tão claramente!
    abraçãooo

    ResponderExcluir
  3. Já me senti assim tantas vezes...
    Uma corrida que parece que não acompanhamos! Um beijo*

    ResponderExcluir
  4. Ultimamente não ando muito com vontade de me olhar no espelho...rsrsrs...
    Mas tudo bem envelhecer faz parte dos caminhos de nossas vidas e quero envelhecer com prazer.

    Filha por aqui tá tudo ótimo. Achuva infelizmente pega de jeito os mais fracos e oprimidos. Tem coisas que eu não consigo entender!!!
    Hoje está até meio que frio por aqui a temperatura baixou bastante, mas ontem só poderia cair o tempestade que caiu, o calor estava de matar.
    Saudades de ti também filha, espero que estejas bem, trabalhando e vivendo a vida mais feliz.
    Estou às voltas com as coisas do fim de ano e mais o casamento do Hugo, então já viu, queria que o dia tivesse mais algumas horinhas.

    Beijos no coração com saudades...muitaaaaa saudades!
    Mãezinha!

    ResponderExcluir
  5. Duzinha, eu nem tenho coragem de me olhar no espelho. Me dá uma raiva! :o)

    ResponderExcluir
  6. Um texto assim é pra ser lido diariamente. Lindo demais.
    Boa semana iluminada.
    Bjussss
    Sil

    ResponderExcluir
  7. Olá muito maneiro seu blog super organizado com ótimo conteúdo gostaria de parabenizar pelo ótimo trabalho voltarei mais vezes no seu encantador blog que Deus esteja sempre contigo
    Desejo muito sucesso

    ResponderExcluir
  8. Valeu a republicação! Efeito contrário ao de Narciso, porque mais que a aparência, olhamos o avesso do avesso! Boa semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  9. Muito bonito, minha cara sumida (não vais aparecer, não, hein?!): o espelho nos conta sempre muito mais do que nossas próprias rugas! Ele nos fala de vozes perdidas dentro de nós, caladas há muito tempo... Belo desabafo poético! Abração!

    ResponderExcluir

^ Suba