Dar não é fazer amor

14/01/2010



Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca...
Te chama de nomes que eu não escreveria...
Não te vira com delicadeza...
Não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar....
Sem querer apresentar pra mãe...
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral...
Te amolece o gingado...
Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem
esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora.
Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar
o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar:
"Que que cê acha amor?".
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho...
É não ter alguém para ouvir seus dengos...
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar
Experimente ser amado...
[Luís Fernando Veríssimo]

10 comentários:

  1. Só o Veríssimo para escrever assim... "dar é não ganhar". Adorável!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. vou sair correndo para experimentar...tchau!

    ResponderExcluir
  3. É..

    Eu sei bem o que é isto..

    Bjos com lágrimas no olhar por estar vazia...

    ResponderExcluir
  4. Mais esse texto...

    Ai ai ai

    Recentemente, está rolando uma sucessão de acontecimentos q poderiam ser coincidentes, por convergirem p uma unica reflexão minha: dá para separar amor e sexo.

    É uma coisa q estou amadurecendo em minha cabeça e, embora esse texto do Veríssimo venha a dizer isso, desdizendo, acho que dar, seja alma ou apenas corpo é válido. E, nesse caso, falo egoistamente: desde q eu saia satiseita.

    Por ora, não quero dar amor. Amor de casar, de futuro, de mãos dadas.Quero apenas dar!

    #meta2010

    ResponderExcluir
  5. quer um texto mais realista que esse? Hahaha pasmei!

    ResponderExcluir
  6. Pelamordedeus!
    Esse texto NÃO é do Verissímo!
    =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde encontro esse texto. Sei que é de Tati Bernardi, mas qual livro? Obrigada

      Excluir
  7. Coisas do Veríssimo. Já tinha lido esse texto anteriormente, gosto muito da forma como ele se deixa interpretar através de suas palavras. Perfeito.
    Dar é se permitir ir ao invés de ficar, não? Beijos

    ResponderExcluir
  8. Já tinha recebido esse texto por email e, assim como alguém que comentou aqui encima, também não acho que seja do Veríssimo.
    Não que o texto não seja bom, porque é sim, mas porque 90% do que circula por aí como sendo do Veríssimo ou do Jabor não é realmente deles.

    Mas, sobre o texto, eu concordo: 'dar' pode até ser bom, mas poder ligar sem culpa quando a saudade aperta é melhor ainda.

    :**

    ResponderExcluir
  9. No site https://pensador.uol.com.br/frase/MTMwMDkx/ o texto aperece como auoria de Tati berbardi.

    ResponderExcluir

^ Suba