Crack, Nem Pensar!

30/03/2010


Começa hoje a segunda fase da campanha "Crack, Nem Pensar" promovida pela RBS e Zero Hora. Embora com novo foco, a campanha mantém os seus três pilares básicos: prevenção e conscientização, para evitar o surgimento de novos usuários; repressão e legislação, com o propósito de retirar a droga e os traficantes de circulação, inibindo o tráfico e reduzindo a disponibilidade da mercadoria; saídas e tratamento, destinado a apontar soluções locais, nacionais e internacionais que evidenciem boas iniciativas e estimulem tanto a recuperação quanto a oferta de espaços apropriados para o tratamento.


Esta segunda etapa da campanha contempla o sofrimento dos familiares e amigos dos viciados, assim como a luta incansável dessas pessoas para salvar seus afetos. A chamada pedra maldita, que provoca dependência já nas primeiras experimentações, tem um efeito colateral fulminante sobre filhos, pais, irmãos, namorados e amigos das vítimas. Não é incomum que, além da degradação física e mental do usuário, o crack provoque também vergonha, medo, repulsa e rejeição naqueles que o cercam, destruindo por completo as relações familiares e afetivas. 

Por isso, a luta é de todos – e, juntos, haveremos de vencê-la.

Saiba tudo sobre a campanha clicando aqui
Se possível, ajude na divulgação, esta luta é de todos nós!

7 comentários:

  1. clicRBS foi o portal que tive que analisar para apresentar um trabalho sobre convergência, jornalismo e multimídia, e foi bem ontem que eu apresentei, coincidência entrar qui e ver, eu que passei 1 mês entrando todo dia. Enfim. Campanha válida, certa. É preciso mudar a realidade de tantos jovens corrompidos, tantas famílias desgraçadas, tudo por causa das drogas e do vício. Apoio demais a campanha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. concordo que a luta é de todos nós.
    Sucesso na campanha.

    Tava com saudades daqui

    Beijão!!!

    ResponderExcluir
  3. Para qualquer droga, o melhor remédio é de fato, não chegar sequer a experimentar.
    Campanhas como essa ajudam a conscientizar e apoiar os familiares que querem ver seus entes queridos livres do vício.
    São totalmente válidas.

    Beijos mil, Du!!!

    ResponderExcluir
  4. Adorei a divulgação da campanha!!
    Conscientizar...em massa!
    Bjss♥

    Que a Alegria da Pascoa invada seu Coração
    e o daqueles a quem ama irradiando luz para iluminar
    e fazer brilhar o mundo em que vivemos enchendo-o
    de Amor...Saúde...Paz!!!

    FELIZ PASCOA!!!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo incetivo à campanha, Duzinha. Realmente o crack já é um problema de saúde pública e, pior, que vem se alastrando numa velocidade absurda por todo o país. Não dá pra fingir que esse não é um problema nosso. Não é até que um viciado te roube a bolsa e troque por uma mísera pedrinha, né?
    Infelizmente, a dura realidade.

    beijinho, querida

    ResponderExcluir
  6. QUERIA MAIS E QUE ESSAS PORRAS DESSES CRACUDOS USEM MAIS... E SE ACABEM DE VEZ, QUE MORRAM LOGO.... POIS ASSIM ACABA ESSA MERDA TODA! PODERIAM LIBERAR UMA DROGA MAIS MORTAL... IA ACABAR COM ESSA POUCA VERGONHA TODA... QUE MORRAM ESSES MARGINAIS TODOS... E QUE SE TIVER UM FILHO OU SOBRINHO MEU COM DROGAS.... Q MORRA TB! TOU CHEIO DESSA MERDA TODA!

    ResponderExcluir
  7. Porcaria de campanha. Totalmente nula.

    Um comercial anti drogas tem que ser chocante, polêmico. Mostrar a realidade nua e crua. Precisa causar alguma reação direta ou indireta ao espectador.

    Um bom exemplo é aquele comercial que começa pelo fim, com um jovem gritando ao testemunhar a mãe ser assassinada num assalto, e então, mostra a trajetóåria do assaltante que comprou a munição para sua arma com o mesmo dinheiro que ele ganhou vendendo a droga para o filho.

    A única coisa que me atinge neste comercial é o cabelo do Carlinhos, que é uma DROGA.

    ResponderExcluir

^ Suba