Em algum lugar...

22/02/2010


Não é fácil escrever
o que a gente sente.
É difícil compreender
como às vezes
o choro brota silencioso
somente por dentro
bem no fundo,
o amor cresce
cada vez mais
e corrói o coração como traça
despedaça
amordaça...
Assim,
sou como o gelo derretendo
sou como o fogo queimando
como a andorinha voando
meus olhos se perdem ao longe,
bem longe
onde não existe nada,
onde não existe ninguém
onde eu daria a minha vida para estar,
no infinito
no impossível
no irreal...
Com você.

[Du]

(mais um poeminha da adolescência...)

6 comentários:

  1. Pode até ser da adolescência, mas está lindo e delicado, como tudo o que você escreve, prova que o talento vem desde sempre ;o) Você está melhorzinha? Beijocas e boa semana.

    ResponderExcluir
  2. Já nascia uma poetisa na adolecencia. Muito lindo! A gente sofria com a realidade e queria a fantasia. Aquele amor do jeitinho que idealizamos para que tudo voltasse a ser cor de rosa. Tempo bom! Montão de bjs e abraços

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema da adolescência,diz tanta coisa que cabe a mim, e que deve falar alto em outros tantos corações.

    "Não é fácil escrever
    o que a gente sente.
    É difícil compreender
    como às vezes
    o choro brota silencioso
    somente por dentro... o amor cresce
    cada vez mais"

    Eu adorei, simples e sucinto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oiee Du....amei a delicadeza de cada frase.Menina com alma de mulher que se deixou revelar através de doces palavras.
    Linda semana pra ti!
    Bjss♥

    ResponderExcluir
  5. Poeminhas da adolescência... São bons. Sinceros.

    Faz tempo que não venho aqui, né?
    Gostei muito do cabeçalho do blog.

    ResponderExcluir
  6. Que lindinho, Du. Tão delicado. Parece até que foi escrito por 'Poliana - a moça', quando na verdade foi escrito por Dulce - a moça, que é quase a mesma coisa que a Poliana.

    beijinho =*

    ResponderExcluir

^ Suba