Meu primeiro amor

25/03/2010


Quando eu tinha oito anos me apaixonei pela primeira vez na vida. O nome dele era Marcelo, tinha dez anos e era o guri mais lindo da sala de aula... E eu já era uma "sem-noção" desde aquela época, na verdade, acho que já nasci com a capacidade de amar as pessoas erradas. O tal do Marcelo parecia que tinha raiva de mim, apesar de estarmos sempre juntos, a gente vivia brigando. 

Um dia a professora me convidou pra fazer uma peça de teatro "Cachinhos Dourados" onde eu iria interpretar o papel principal e Marcelo seria o meu par, o meu príncipe. Parecia um sonho e mesmo já tendo em mim  toda a timidez do mundo, aceitei o papel. 
Foi um horror a apresentação de estréia no teatro da escola, na verdade, a peça foi cancelada depois daquilo. Eu falava tão baixinho que ninguém conseguia ouvir nada do que eu dizia... e ao mesmo tempo que eu tentava olhar pras pessoas e falar mais alto sem conseguir, ouvia o Marcelo falando alto como se só  EU  pudesse ouvir "fala mais alto, sua doida"... num impulso, atirei o que eu tinha nas mãos nele com toda a força, acho que era um regador de plástico (a "cachinhos dourados" devia regar as flores em algum lugar ali no palco...) e saí correndo dali, deixando todo mundo embasbacado.

Lembro que sofri  pela vergonha e pela desilusão do meu primeiro amor. Achei que nunca mais teria coragem de voltar pra escola... mas uma espécie de "milagre" aconteceu na noite do meu fiasco no teatro. Sonhei que o Marcelo caminhava comigo atravessando uma ponte e no meio do caminho ele me empurrou e caí no rio, via ele rindo do meu desespero, e eu gritando por socorro. Acordei assustada e sem mais nem um pingo de amor por ele. Voltei pra escola dois dias depois pedindo desculpas para a professora e o Marcelo foi ignorado por mim até o final do ano.
Troquei de escola no outro ano e nunca mais vi o guri. Assim como nunca mais esqueci.

Mas afinal, porque estou falando sobre isso agora?
Este blog não tem o nome que tem à toa. Eu tenho sonhos reveladores, que às vezes me ajudam muito mais a "consertar" minha vida, do que fatos concretos do dia a dia. E isto acontece até hoje.
Sei lá, deu vontade de contar.

[Dulce Miller]

10 comentários:

  1. rsrsrsrs
    Sabe? Tb tive um Marcelo na minha vidinha de criança... Mas ao contrário de vc, convivi e convivo com ele até hj!
    Mas como tenho horror a cara dele, nem falo nada com ele!
    Eu tenho sonhos como vc, mas são premonitíos... Já falei sobre isso em vários de meus blogs...
    Passa no Ideias... Ele fez aniversário essa semana e senti a sua falta!
    Mudei a cara dele, vá ver como ficou!

    bjão

    ResponderExcluir
  2. O primeiro amor marca mesmo!Eu tinha um grude na escola na quarta serie...rsss...Ele me fazia passar tanta vergonha e foi tão insistente que acabei me apaixonando...rsss...mas passou,porque era coisa de criança!Adorei seu texto!Bjs,

    ResponderExcluir
  3. hahahaha

    ô, Du! desculpa! mas a historinha de amor acabou ficando engraçada. vai ver é q, após os dramas, a vida parece bem boba.

    ResponderExcluir
  4. Ele era mesmo insensivel, e iso é innato, é dicir, hoje en día caminhará por aí, en sabe Deus qué lugar e seguirá a ser un insensível. Marcelo nao prestava e moitos homens adultos sao ums Marcelos da vida =P


    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Du, e quem sabe o Marcelo pode até estar lendo esse post? Ele irá entender o seu lado, afinal você era uma criança.

    Olha, você sofreu com isso, mas a forma como você contou encanta qualquer um. Imaginei um roteiro de cinema, aliás, imaginei essa história nas lentes de uma película.

    Beijos, Du.

    ResponderExcluir
  6. Que história engraçada e bonitinha. Parece até que já vi em algum filme...

    ResponderExcluir
  7. Espero que você jamais sonhe comigo! :D Bom fim de semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  8. Duzinha, me diverti muito com essa história do teu primeiro amor. Lembrei das minhas próprias primeiras histórias que agora também me divertem bastante, mas quando aconteceram - meu Deus - parecia que era o fim do mundo.

    Sabe que seria legal reencontrar o Marcelo? Vai ver ele deve estar o maior barango, gordo e careca, já deve ter casado e descasado umas três vezes. E tu continua a mesma cachinhos dourados - só que dessa vez sem jogar o regador em ninguém. :D

    beijo, Duzinha

    ResponderExcluir
  9. Que historia legal.

    Criança é um bicho engraçado. São sinceras.

    ResponderExcluir
  10. Acho q todas nós ja tivemos um Marcelo na vida. O meu foi o Leandro!
    Na maioria das vezes o final é o mesmo...é a vida!!!!!! rsrs

    ResponderExcluir

^ Suba