7 de abr de 2012

Fragmentos de Adélia Prado



Com licença poética
Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou tão feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo. Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
-- dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou.

Impressionista 

Uma ocasião,
meu pai pintou a casa toda
de alaranjado brilhante.
Por muito tempo moramos numa casa,
como ele mesmo dizia,
constantemente amanhecendo. 

Ensinamento  

Minha mãe achava estudo
a coisa mais fina do mundo.
Não é.
A coisa mais fina do mundo é o sentimento.
Aquele dia de noite, o pai fazendo serão,
ela falou comigo:
"Coitado, até essa hora no serviço pesado".
Arrumou pão e café , deixou tacho no fogo com água quente.
Não me falou em amor.
Essa palavra de luxo.

Dia

As galinhas com susto abrem o bico
e param daquele jeito imóvel
- ia dizer imoral -
as barbelas e as cristas envermelhadas,
só as artérias palpitando no pescoço.
Uma mulher espantada com sexo:
mas gostando muito.

Objeto de Amar

De tal ordem é e tão precioso
o que devo dizer-lhes
que não posso guardá-lo
sem que me oprima a sensação de um roubo
cu é lindo!
Fazei o que puderdes com esta dádiva.
Quanto a mim dou graças
pelo que agora sei
e, mais que perdôo, eu amo.

Pranto Para Comover Jonathan

Os diamantes são indestrutíveis?
Mais é meu amor.
O mar é imenso?
Meu amor é maior,
mais belo sem ornamentos
do que um campo de flores.
Mais triste do que a morte,
mais desesperançado
do que a onda batendo no rochedo,
mais tenaz que o rochedo.
Ama e nem sabe mais o que ama.

Parâmetro

Deus é mais belo que eu.
E não é jovem.
Isto sim, é consolo.

Poema Começado no Fim

Um corpo quer outro corpo.
Uma alma quer outra alma e seu corpo.
Este excesso de realidade me confunde.
Jonathan falando:
parece que estou num filme.
Se eu lhe dissesse você é estúpido
ele diria sou mesmo.
Se ele dissesse vamos comigo ao inferno passear
eu iria.
As casas baixas, as pessoas pobres,
e o sol da tarde,
imaginai o que era o sol da tarde
sobre a nossa fragilidade.
Vinha com Jonathan
pela rua mais torta da cidade.
O Caminho do Céu.

Exausto

Eu quero uma licença de dormir,
perdão pra descansar horas a fio,
sem ao menos sonhar
a leve palha de um pequeno sonho.
Quero o que antes da vida
foi o sono profundo das espécies,
a graça de um estado.
Semente.
Muito mais que raízes.

Casamento

Há mulheres que dizem:
Meu marido, se quiser pescar, pesque,
mas que limpe os peixes.
Eu não. A qualquer hora da noite me levanto,
ajudo a escamar, abrir, retalhar e salgar.
É tão bom, só a gente sozinhos na cozinha,
de vez em quando os cotovelos se esbarram,
ele fala coisas como "este foi difícil"
"prateou no ar dando rabanadas"
e faz o gesto com a mão.
O silêncio de quando nos vimos a primeira vez
atravessa a cozinha como um rio profundo.
Por fim, os peixes na travessa,
vamos dormir.
Coisas prateadas espocam:
somos noivo e noiva.

A Serenata

Uma noite de lua pálida e gerânios
ele virá com a boca e mão incríveis
tocar flauta no jardin.
Estou no começo do meu dessespero
e só vejo dois caminhos:
ou viro doida ou santa.
Eu que rejeito e exprobo
o que não for natural como sangue e veias
descubro que estou chorando todo dia,
os cabelos entristecidos,
a pele assaltada de indecisão.
Quando ele vier, porque é certo que vem,
de que modo vou chegar ao balcão sem juventude?
A lua, os gerânios e ele serão os mesmos
- só a mulher entre as coisas envelhece.
De que modo vou abrir a janela,se não for doida?
Como a fecharei, se não for santa?


Aprendo. Te aprendo, homem. O que a memória ama fica eterno. Te amo com a memória, imperecível.
 [Adélia Prado]

Imagem daqui

9 comentários:

  1. LINDAAAAAAA!!!!Sei demais que é.
    Nossa, acertasse em cheio agora.
    Minha vó lia pra gente, que coisa mais linda chegar aqui e ter esse momento nostálgico. Amei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Adélia Prado é simplesmente maravilhosa...
    Os escritos dela são encantadores!!!
    Adoorei o vídeo!!
    Beijos, Duzinha

    ResponderExcluir
  3. Uma sensação de orgulho chega e se instala em mim. Orgulho de saber que existe uma Adélia Prado na POESIA! Abençoada figura. Rara e abençoada!
    Valeu a partilha!
    Du, tu és demaissss!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Adélia é fantástica,imprevista,mágica e outros tantos merecidíssimos adjetivos.E mora aqui pertinho de mim,a 45 km(rs).
    Obrigado por compartilhar essa poesia essencial.
    Um beijo,sempre.

    ResponderExcluir
  5. Mulher fantástica. Como não se encantar por tão belas palavras? Obrigado pelo presente! Beijos no teu coração.

    ResponderExcluir
  6. Adoray esses fragmentos, Duzinha! Acho que tu já tinha postado algo de Adélia Prado por aqui e foi inclusive através de ti que eu conheci os escritos dessa mocinha. Escreve coisas muito bonitas. Eu gosto.

    P.S: Eu queria morar em uma casa onde estivesse constantemente amanhecendo.


    beijos

    ResponderExcluir
  7. Minha linda,
    Páscoa, a celebração daqueles que acreditam na beleza das pequenas coisas ... e sei que a vida pode surpreender além das expectativas. Que a alegria invade o coração dando uma felicidade inesperada ..
    Feliz Páscoa!
    Beijos, Elaine Lucas

    ResponderExcluir
  8. Lindo!Meu café da manhã e lendo Adélia no A moça do Sonho.
    Minha páscoa vai ser linda...

    ResponderExcluir
  9. Sou amante de Adélia.

    Mulher sábia. Inspiração pra mim.

    Dos poemas acima, gosto muito do primeiro.

    Linda resposta ao poema 7 faces de Drummond.

    Um abraço

    Ana Virgínia.

    filhadejose.blogspot.com

    ResponderExcluir

 

a moça do sonho Template by Ipietoon Cute Blog Design and Waterpark Gambang