A dor é conseqüência de um apego inútil! Deixa ir...

22/09/2010



Sabe quando você vive uma situação difícil, angustiante e que te incomoda? Quando você não sabe o que dizer, o que fazer ou como agir para que a dor passe ou ao menos diminua? 
Pois vou te contar o que tenho descoberto, por experiência própria! Em primeiro lugar, observe a situação toda e, sobretudo, observe a si mesmo e os seus comportamentos.

Errou? Tente consertar e, de qualquer modo, peça desculpas!
Fez ou falou o que não devia? Explique-se, seja sincero, não tente esconder seu engano ou fingir que nada aconteceu... Valide a dor do outro, sempre.
Ta difícil conseguir uma nova chance? Dê um tempo. Espere... Às vezes, algumas noites bem dormidas e alguns dias sem a imposição de sua presença ou a insistência de suas tentativas são preponderantes para que os sentimentos bons sejam resgatados e para que um coração possa ser reconquistado.

Por fim, fez tudo isso e não deu certo? Não rolou? A pessoa até te perdoou, mas a massa desandou, a história se perdeu, os desejos esfriaram?!?

Você se sente inconformado, esmagado pelo arrependimento, atordoado pela tristeza do que poderia ter sido e não foi? Tem a sensação de que estragou tudo? Não sabe mais o que fazer para parar de doer? Acredite, só tem um jeito: solta!
A dor é conseqüência de um apego inútil! Deixa ir... Deixa rolar... Se você já fez o que podia fazer, tentou e não deu, confie na vida, confie no Universo e siga em frente. Pare de se lamentar, pare de se debater e de se perder cada vez mais, e tenha a certeza absoluta de que o que tiver de ser, será!

Quando essa certeza chega, é impressionante: a gente simplesmente relaxa e solta! E quando solta, a dor começa a diminuir, e a gente começa a compreender que está tudo certo, mesmo quando não temos a menor idéia de que “certo” é esse. Mas quando menos esperamos, tudo fica absolutamente claro!

Não se trata de desistir, mas de confiar! Isso é o que se chama “FÉ”! Isso é o que desejo a mim e a você, quando estivermos doendo...

Rosana Braga Reconhecida como uma das maiores especialistas em relacionamentos interpessoais do país, pesquisadora da área há mais de 10 anos, Rosana Braga é conferencista, escritora, jornalista e consultora em relacionamentos. Autora de 5 livros e DVDs de Treinamento, tais como ‘O Poder da Gentileza’, ‘Faça o Amor Valer a Pena’, 'Inteligência Afetiva – 2 volumes', entre outros.

6 comentários:

  1. Duzinha, eu precisava de ler esse texto, isso é fato!!!!

    Não se trata de desistir, e sim confiar!!!!

    Beijos, Duzinha!!!!^^

    ResponderExcluir
  2. é tão reconfortante ouvir palavras de esperança quando a dor é a unica coisa que nos invande! é tão dificil aceitar que perdemos! é tão dificil soltar!!!
    Obrigada pelas palavras quando a agonia e o desespero nos invadem...

    xana

    ResponderExcluir
  3. Concordo com a Xana. É tão difícil soltar :/
    Mas,obrigada pelas palavras :)

    ResponderExcluir
  4. É isso aí! nada melhor! Fazer o que é possível e seguir em frente!

    Deixa de lado essa tristeza,
    vem pro lado daqueles que te fazem sorrir sem precisar te
    fazer cócegas,
    vem pr'aqueles que te amam,
    vem ver o milagre da chuva,
    o sorriso nas estrelas,
    ver os bichos nas nuvens,
    vem ver aqueles que esperam pela tua visita,
    não seja tão egoísta ou orgulhoso(a) ao ponto de não ir
    até lá,
    de não ligar.
    Vem se curar das mágoas,
    das coisas que nunca fez,
    das frases que não disse,
    vem dizer,
    vem fazer,
    vem pra tudo que há de bom e não faz mal.
    Vem ser feliz.

    VEM!

    ResponderExcluir
  5. Eu estava realmente precisando ler esse texto, Duzinha.
    Compreender é diferente de desistir. E persistência é diferente de insistência, que tem mais a ver com burrice.
    Só um burro não sabe que 'dar murro em ponta de faca' dói.

    =*

    ResponderExcluir
  6. Nunca imaginei que pudesse encontrar conforto em um texto tão simples...
    Quando a dor é só o que temos a solução é realmente confiar... afinal o que podiamos fazer já foi feito então a única alternativa e ter fé!

    Obrigada de verdade.

    ResponderExcluir

^ Suba