Minha resenha de "Lisbela e o Prisioneiro" - adoro e recomendo!

18/09/2010



O Brasil é um país divertido e os brasileiros sabem muito bem disso. Tanto é que é comum rirmos de nós mesmos. Acredito que até mesmo essa nossa capacidade de contar piadas e dar muitas risadas de nossos próprios infortúnios é comprovação de que somos abençoados por Deus.
Em que outra parte do mundo existem histórias tão deliciosas quanto “Lisbela e o Prisioneiro”? Tudo no filme parece alegórico, tudo soa falso e, apesar disso, nos vemos na tela.
Percebemos o Brasil nas cidades por onde anda Leléu (Selton Mello, comprovando mais uma vez seu grande talento cômico). Sentimos que a mocinha Lisbela (Débora Falabella, em atuação exemplar) se parece tanto com nossas irmãs, primas ou sobrinhas (especialmente se elas moram no interior e têm como características toda aquela doçura, aquela ingenuidade).
Quantas não são as histórias de matadores de aluguel (como o sanguinário Frederico Evandro, vivido pelo ótimo Marco Nanini- um dos meus personagens preferidos no filme!) que já lemos nos jornais de nosso país. Até a polícia, satirizada na pele de alguns personagens, não parece muito diferente daquilo que vemos em pequenos povoados interioranos.
É nesse ponto que percebemos que o maior mérito do filme reside na capacidade incrível que temos de contar histórias, de divertir, de ensinar a partir da observação do cotidiano.
Se você carrega na alma a essência da brasilidade, com certeza irá se identificar com “Lisbela e o Prisioneiro”, além disso, irá se divertir muito, dando boas gargalhadas com a trama. Com certeza, um gol de placa do cinema nacional!
Eu já devo ter assistido umas 8 vezes no mínimo, e todas as vezes Inaura me faz chorar...(se for ver o filme, recomendo não abrir o vídeo abaixo) É uma cena de amor decisiva e uma das mais tristes que já assisti no cinema, apesar do filme ser divertido! Ah, e a trilha sonora é nada menos que ÓTIMA!
Para aqueles que ainda não viram esse filme, fica aí a dica pra  hoje! Um ótimo final de semana e um beijo pra todos!

 

4 comentários:

  1. Que também acho a trilha sonora excelente nem preciso repetir né, Du!?rs
    Mas vc tem meu aval em tudo que foi dito aí em cima, o filme realmente é um obra prima do cinema nacional, carregado (carregado na bagagem que trás e no tom com que é contado) de brasilidade e consegue fazer rir muito e se emocionar na mesma proporção!
    Também adoooooro!
    Bjoks!

    ResponderExcluir
  2. Impossível falar do filme sem mencionar a magistral,porém esquecida, obra de Osman Lins, autor da peça que deu origem a estefilme: mistura de ditados populares, estórias antigas vivenciadas por familiares e amigos do autor e frases de caminhão, este autor conseguiu fundir o humor de tipos à breguice comeum de regiões menos abastadas deste Brasil - o que Guel adaptou muito bem, diga-se de passagem, no mesmo ritmo alucinado de O Auto da Compadecida, outra obra-prima do Teatro nacional, esta de Suassuna! Mas suas observações foram igualmente divertidas, tal como o filme, comicamente romântico na medida dohumor brasileiríssimo de Guel!
    Abração!

    ResponderExcluir
  3. olha gostei mtmt desse filme me ajudou mtmt..

    ResponderExcluir
  4. vlw me ajudou na resenha da escola vlw abraço e que deus te abençoe

    ResponderExcluir

^ Suba