A máscara da alegria, definida por Schopenhauer

14/07/2011


“Uma grande alegria, assim não a julgaríamos se ela não viesse atrás de uma grande dor. Não podemos atingir um estado de alegria sereno e duradouro. Essa é a razão porque os poetas são obrigados a rodear seus protagonistas de tristes ou perigosas circunstâncias, para no fim os livrar delas. No drama e na poesia épica, o herói sofre mil torturas: nos romances os heróis lutam pondo em relevo os tormentos do coração humano” - [Arthur Schopenhauer, 1788 – 1860]

Imagem daqui 

3 comentários:

  1. As máscaras sempre nos atraem, excelente a tua escolha das palavras do sábio Schopenhauer, as máscaras trazem o oculto de um rosto que, por vezes, só se revela pelo olhar, quem a contempla, não pode compreender se, por acaso, o rosto alegre do palhaço não esconde uma dor, se a máscara da dor não esconde um rosto aliviado, alegre.
    Para quem a usa, considerando que todos a usamos em algum momento, o risco, já foi visto e já foi dito, o de usar uma máscara por tanto tempo que se acabe por esquecer do que há embaixo dela. Sempre vivas as palavras ditas no filme "V de Vingança": 'Sob a máscara não há só carne, há um ideal...'
    Bjo baita Du

    ResponderExcluir
  2. Depois da tempestade vem a bonança.

    Só damos valor a alegria depois do sofrimento.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Na vida real, nem sempre há muita poesia legal,portanto, imaginação às obras!rs

    ResponderExcluir

^ Suba