Não era amor, era...

31/03/2011


"…Se não era amor, era da mesma família. Pois sobrou o que sobra dos corações abandonados. A carência. A saudade. A mágoa. Um quase desespero, uma espécie de avião em queda que a gente sabe que vai se estabilizar, só não se sabe se vai ser antes ou depois de se chocar contra o solo. Eu bati a 200 km por hora e estou voltando á pé pra casa, avariada. Eu sei, não precisa me dizer outra vez. Era uma diversão, uma paixonite, um jogo entre adultos. Talvez este seja o ponto. Talvez eu não seja adulta o suficiente para brincar tão longe do meu pátio, do meu quarto, das minhas bonecas. Onde é que eu estava com a cabeça, de acreditar em contos de fada, de achar que a gente muda o que sente, e que bastaria apertar um botão que as luzes apagariam e eu voltaria a minha vida satisfatória, sem sequelas, sem registro de ocorrência?
Eu não amei aquele cara. Eu tenho certeza que não. Eu amei a mim mesma naquela verdade inventada.Não era amor,era uma sorte. Não era amor, era uma travessura. Não era amor, eram dois travesseiros. Não era amor, eram dois celulares desligados. Não era amor, era de tarde. Não era amor, era inverno. Não era amor, era sem medo.
Não era amor, era melhor!”

Martha Medeiros em Divã - Eu indico para aqueles que ainda não leram, é um livro muito, muito bom!
E para quem não viu ainda, eu já falei sobre o filme que foi inspirado no livro aqui, inclusive este trecho do livro está no filme, na voz da Lilia Cabral, numa atuação fantástica - Sou fã mesmo, do tipo que lê e vê os filmes várias vezes quando gosta!

 Imagem daqui

2 comentários:

  1. Esse texto me traz muitas lembranças...Um amor, ou sei lá...como é descrito no texto um "não amor".
    O fato é que a sensação que ele traz é tão profunda, é tão real, é tão minha, entende?! Adoro Martha Medeiros ainda mais depois que li esse texto...nem se eu tivesse escrito tais palavras chegariam tão perto da sensação que eu senti e ainda sinto...

    Obrigada, Du
    Por me trazer este texto de volta...

    ResponderExcluir
  2. Lindo isso, Du querida...

    Eu li o livro e vi o filme, concordo que são imperdíveis!!

    Obrigada por trazê-los aqui, reavivando a memória para o essencial da vida...

    Beijos!! Te adoro!

    ResponderExcluir

^ Suba