...quando nada mais resta dentro do coração além do sangue bombeando a vida.

13/05/2011



Um coração vazio é um eco ressonando esperança, um vácuo na imensidão da distância, uma vida inteira em forma de lembrança.

Vazio. Oco.
Tum tum tum - não adianta bater, não estou lá dentro.
Folhas secas na primavera. Neve no verão. Calor intenso no inverno. Árvores floridas no outono.

Tudo ao contrário, miopia de sensações, artrite de emoções.

Não, não quero. Não sei viver assim perdida de mim. Onde eu estou? Alguém por acaso me viu caminhando ao relento, numa noite fria sem agasalho e espirrando? Não, ninguém viu, nem ouviu. Eu mesma não me vejo, não me sinto, não me toco.

É tudo vazio. Oco.

Abismo intransponível de mim mesma. Caí e nem senti o corpo vagando pelo ar. Saí voando sem destino numa noite de pesadelos e encontrei uma multidão apressada. Eu que não tinha pressa fugi pra dentro de mim outra vez. Voltei pra minha cama quentinha, é lá que me escondo do mundo, feito um bichinho acuado.

Não gosto de barulho que não seja musical. Não preciso de mais nada assim tão banal. Ser por ser, ter por ter. Alguma coisa há de ter sentido, há de ser sentida.

Sou um ser vazio e minha alma emite ecos que gritam em torno do meu silêncio:
Eu sei perdoar, mas não sei esquecer.
E você, sabe?
Alguém me ensina esta lição?

Viver dói quando nada mais resta dentro do coração além do sangue bombeando a vida.
E dor... dor eu não quero mais não.
Não mesmo.

[Du]

[Texto inspirado na música "Meu coração" de Arnaldo Antunes]

Fonte da imagem

7 comentários:

  1. Lindo Du, Meu coração bateu agora...

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. sofro deste mesmo mal, perdoar sem esquecer…como pode?

    ResponderExcluir
  3. Oi linda!

    Perdoar é uma atitude para a gente, não para o outro. É podermos enxergar e lembrar de uma situação passada com novos olhos.
    Podemos para sempre dizermos que a aquela atitude que nos feriu não é positiva, mas devemos aprender sobre nós mesmos através dela.
    Neste momento largamos a lembrança dolorosa e a substituímos por um aprendizado.
    Não perdoar é ficar preso num evento que não existe mais. É carregar uma corrente mental que só faz mal para a gente mesmo.
    Não é fácil... Mas quem disse que a terra é para principiantes?
    bjs!!!!

    ResponderExcluir
  4. Du, querida!
    Eu não sei se sei perdoar porque esqueço com uma velocidade muito grande tudo que me faz mal. Caracteristica dos bipolares.
    Beijos, minha flor!

    ResponderExcluir
  5. Ai, me sinto tão "fragilizada" emocionalmente que, até ler esse texto me fez chorar. É muito ruim viver com esse vazio... =/

    ResponderExcluir
  6. Poxa, falou direto comigo também, tô meio mal, esses males de amor são tão..... dificeis de descrever, mas tão fáceis de sentir.

    Ótimo texto. Bjão!

    ResponderExcluir
  7. Lindo, Du querida...

    Traduziu meu coração no dia de hoje!

    Beijo carinhoso, como você costuma dizer, na sua alma!

    ResponderExcluir

^ Suba