A metáfora do palito de picolé

12/06/2011



Dentre os poucos e bons amigos virtuais que encontrei e ainda não conheci pessoalmente, a Sandra é a pessoa com quem mais me identifico, mesmo antes de começarmos a conversar por telefone. Desde então, brincamos que somos irmãs gêmeas separadas na maternidade, tamanha é a afinidade!

Num dia desses de conversas que parecem ter a duração de 1 minuto mas na verdade já se passaram mais de 1 hora, ela me contou uma história (na verdade um conselho) que ouviu da mãe da Karina e que não saiu mais do coração dela. Pelas conversas que tivemos nos últimos tempos, ela lembrou do conselho e me contou. E eu não paro de pensar no tal palito de picolé até agora. Então decidi compartilhar com vocês... quem sabe alguém aí também precisa "ouvir" o que eu ouvi da Sandra?

A Karina estava muito triste porque havia brigado com o namorado, a Sandra estava na casa dela quando a mãe da Karina falou sobre o picolé (mais ou menos assim): "Minha filha, se você vai atrás de uma padaria ou a qualquer lugar porque está com vontade de comer um sorvete (ou picolé, que seja) e você se dá ao trabalho de sair de casa para comprar, você dedica seu tempo para ter este prazer, então não pode simplesmente jogar o picolé fora antes de comê-lo até o fim. Nada de chupar o picolé até o meio do palito e jogar fora o resto, afinal, não era o picolé que você queria?"

Sim, era o picolé. Era o relacionamento. Era todo o resto, e foi a maneira da mãe dela dizer por matáfora que não podemos nem devemos deixar nada mal resolvido, nada por esperar, nada para trás, porque todas as pessoas que passam por nossas vidas tem o seu valor e não importa quais são. Importa mesmo é o que sentimos e a forma como vamos resolver buscar a paz para o nosso coração.

Nem sempre agir com o coração dá certo nestas situações (eu bem sei, mas enfim, eu tentei)... E a Sandra aprendeu na marra a manter os pés no chão sem deixar os sonhos de lado. Eu estou aprendendo com as experiências dela (juntando com as minhas próprias) que a vida segue seu rumo com a certeza de que sempre dou o melhor de mim, por mim e pelos que amo.

E aprendi também que histórias mal resolvidas não são como um monólogo. É necessário que a outra parte envolvida também esteja interessada em resolver. Caso contrário, se você tentou chupar o picolé até o fim mas o outro veio e derrubou da sua mão o que restava, o que você faz? Bate em retirada.
E foi assim... e era isto!
Du

Imagem daqui

10 comentários:

  1. E se faz o melhor que se pode. Não deu bate em retirada... O melhor que se faz.

    Sem dúvida é um ensinamento maravilhoso para as mais variadas situações de nossa vida.

    Beijos, moça do sonho!

    ResponderExcluir
  2. E foi assim... E era isso.

    Então tá, tô c/ vc.

    Beijos no ♥

    ResponderExcluir
  3. As palavras da minha mãe foram realmente sábias, depois de ouví-las, eu aproveitei cada pedacinho do picole até que chegasse ao fim. E o que ela também disse foi: "Depois que ele acabar, volte na padaria e compre um outro, de outro sabor, existem tantos por aí, é só escolher". E é a pura verdade.

    ResponderExcluir
  4. Oi Du...
    Estou tão feliz, o seu blog tem sido o site de referência de muitos acessos para os meus blogs!
    E aproveitando, queria te lembrar daquele post que te pedi!
    Estou aguardando ok
    Um beijão

    ResponderExcluir
  5. Iza, já tinha te contado sobre o picolé, então que bom te ver aqui comentando o que escrevi!


    É verdade Roza (Ka)esqueci da melhor parte do conselho da sua mãe! rsrsrs mas que bom que você me fez lembrar e seu comentário chegou justo na hora em que eu estava com a Sandra ao telefone! ;-)

    Agradeça sua mãe por mim, viu?

    Nana, eu sei que sempre estás comigo, mesmo tão distante! Te amo, viu? Obrigada sempre!


    Van, desculpe, tinha esquecido do teu pedido, mas assim que chegar em casa copio o texto e te envio, ok?

    Beijos pra todas!

    ResponderExcluir
  6. Não te encontro mais no twitter! retuiti este texto e @dullim apareceu NOT FOUND. Ownnnn, cadê Du????

    ResponderExcluir
  7. Ownnn desculpe querida, nem tive tempo de avisar todos, mas o dullim agora é @mocadosonho, somente um agregador de links, meu twitter pessoal é o @pirlimpimpimm! Te espero lá ;-)

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Dizem por aí que somos anjos de uma asa só, que precisamos do outro pra alçarmos vôo.

    Nossa amizade é um presente valioso que 2011 me trouxe.

    Quero te ver feliz, Duzinha! E não vou medir esforços pra isso acontecer porque como ouvi em um filme dia desses: " if there is a wound, we must try to heal it. If there is someone whose pain we can cure, we must search till we find them." E eu acredito nisso.

    Beijos, Sis!

    ResponderExcluir
  9. Você também foi um presente valioso pra mim Sandra, principalmente por esta amizade estar agindo como um curativo para todas as feridas "quase" cicatrizadas! Não vou te comparar com um band-aid, mas você tem sido minha irmã de alma e coração, daquelas que cuidam com devoção!

    Beijos, Sis! ;-)

    ResponderExcluir
  10. Sabe a sensação de ver um filme pelo meio? Estou me sentindo assim. As vezes escrevo diretamente para uma pessoa e outra reclama, mas...sei ,lá esquece...rsrssr..Abraço

    ResponderExcluir

^ Suba