Ausência salgada

12/11/2011


Uma parte tua ficou comigo e me acorda toda madrugada.
Olho no espelho procurando onde terás permanecido. Estás sutil, no círculo castanho dos meus olhos.
Mas não apenas lá.

Tiro minhas roupas e te procuro. Onde estás?
Minhas mãos deslizam seguindo o teu rastro impresso no meu corpo.
Estás sob minha pele, secreto, oculto, íntimo.

Caminho na trilha onde ficaram tuas pegadas e quase percebo os ecos da tua voz e os murmúrios do tempo em que gravaste no meu ser os teus sinais. Abaixo da pele, onde os outros não vêem, perto o bastante para tirar meu sono e me guiar na busca.

Avanço em minhas próprias planícies, atravesso meus quilômetros seguindo tua pista, e então estás aqui. Te alcanço e toco o que, sendo parte tua, mora em mim.
Cansada e suada, finalmente entendo: a parte que ficou comigo foi tua ausência.

E tua ausência salgada vaza pelos meus olhos...

 [Du - republicando]

Imagem daqui

Um comentário:

  1. É assim mesmo, a outra pessoa fica grudada em nós, como se fosse uma tatuagem.
    Bjo no coração.

    ResponderExcluir

^ Suba