30 anos sem Elis, a doce pimentinha!

19/01/2012

Imagem daqui
Breve Biografia 
Elis Regina Carvalho Costa, filha de Ercy Carvalho e Romeu Costa, nasceu em 17 de Março de 1945, na capital gaúcha, Porto Alegre. Foi uma das mais importantes cantoras brasileiras. Com personalidade forte e voz inconfundível, foi revelada em um programa de rádio local chamado Clube do Guri. Aos 16 anos, gravou seu primeiro disco pela Continental de roquinhos que não agradou nenhum pouco a cantora. Viajou ao Rio de Janeiro, onde fez os famosos pocket-shows no Beco das Garrafas. 
O sucesso não demorou e logo Elis Regina se tornava uma das principais intérpretes do país. A cantora que media pouco mais que 1,50cm ficou famosa, também, por revelar novos compositores, entre eles estão João Bosco, Aldir Blanc, Renato Teixeira, Fátima Guedes. 
A “pimentinha”, apelido que ganhou de Vinícius de Moraes, casou-se com o jornalista e compositor Ronaldo Bôscoli, com o qual teve o empresário João Marcelo Bôscoli, porém o relacionamento conturbado não durou mais que quatro anos. 
Os cantores Pedro Mariano e Maria Rita são frutos de seu segundo casamento, com o músico César Camargo Mariano. Elis Regina eternizou músicas como O Bêbado e a EquilibristaMaria, Maria e Como Nossos Pais que até hoje são frequentes na memória do povo. 
Elis morreu em 19 de janeiro de 1982, aos 36 anos de idade, no auge de sua carreira intoxicação combinada de Uísque e cocaína. 
Curiosidades de Elis:
  • Seu primeiro disco, Viva a Brotolândia, foi gravado para fazer frente à cantora Cely Campelo.
  • Elis não se dava bem com Maria Bethânia e Maysa Matarazzo.
  • Foi Fundadora-presidente da Assim (Associação de Interpretes e Músicos), em 1978.
  • Foi a primeira pessoa que inscreveu sua voz como instrumento, na Ordem dos Músicos do Brasil.
 Fonte
Causa dor e espanto pensar que ela nos deixou há exatos 30 anos. Elis faleceu muito jovem, aos 36 anos de idade, vítima de uma provável overdose de cocaína.
Os mistérios que levaram a Pimentinha a buscar o refúgio no álcool e nas drogas, embora previsíveis, foram juntos com ela, mas pouco importa por que motivo Elis Regina se foi, muito mais importante foi o que ela nos deixou. Afinal, como ela mesma cantou "a esperança equilibrista / sabe que o show de todo artista / tem que continuar...
^ Suba