100 links p/clicar antes de morrer (2)

24/02/2012



Uma segunda seleção reunindo os 100 melhores links publicados na coluna Web Stuff, do suplemento Opção Cultural, do Jornal Opção. A lista faz uma espécie de inventário do que teve de melhor na internet, no segmento cultural, nos últimos anos. Os links que compõem a lista contemplam os mais díspares perfis e abrange os mais diferentes segmentos e tendências: música, livros, cinema, fotografia, ciência, tecnologia, jornalismo, mídias sociais, artes e humanidades. Entre os “100 links para se clicar antes de morrer” destacam-se: Toda a obra poética de Fernando Pessoa para download gratuito; 3 mil filmes para ver no YouTube; As 100 obras-primas da música clássica para ouvir on-line; 20 mil fotos de 40 fotógrafos premiados; O maior acervo on-line de música brasileira; O acervo do grupo Folha; 100 alternativas à Wikipédia; 3 milhões de lições de pronúncia em 60 idiomas; A obra completa de Paul Cézanne; 60 obras sobre os principais pensadores da educação; As bibliotecas mais impressionantes do mundo; O vocabulário de Machado de Assis; Toda a obra de Charlie Chaplin como ator disponível on-line; 100 clássicos literários para download; A obra completa de Ezra Pound em áudio; Fotografias panorâmicas da cidade de Veneza; O caderno secreto de Leonardo da Vinci; O maior acervo cultural e científico do mundo; Os arquivos de Steven Spielberg; 38 mil fotos do Memorial do Holocausto; Os 10 melhores começos de livros; Os 10 melhores finais de livros; Os 10 melhores poemas de todos os tempos; A maior coleção de fotografias históricas do mundo, As cartas perdidas de Caio Fernando Abreu, A biblioteca de Julio Cortázar. 




3 mil filmes para ver no YouTube 

O YouTube disponibilizou um canal com aproximadamente três mil filmes on-line. O projeto, que havia sido descontinuado, voltou ao ar no mês de agosto. A lista traz desde clássicos absolutos, que fizeram a história do cinema na primeira metade do século passado, até filmes recentes que ficaram famosos em festivais independentes. O canal também traz filmes “trash” do cinema indiano, jamaicano e nigeriano. Todos os filmes estão em inglês, mas legendas em 30 idiomas podem ser ativadas no próprio Youtube. Alguns destaques do canal: “O Nascimento de Uma Nação”, filme mudo estadunidense de 1915 co-escrito, coproduzido e dirigido por D. W. Griffith, baseado no romance “The Clansman”, de Thomas Dixon. “O Gabinete do Doutor Caligari”, a primeira grande obra do expressionismo alemão, dirigido por Robert Wiene em 1920. “Nosferatu”, de F. W. Murnau, outro clássico do expressionismo alemão, realizado em 1922. “O Encouraçado Potemkin”, de Sergei Eisenstein, filme soviético de 1925 que retrata a revolução russa de 1905. “A General”, a obra-prima de Buster Keaton, realizado em 1927. “M”, o primeiro filme do cineasta alemão Fritz Lang e um dos filmes mais influentes da história do cinema. “Daqui a Cem Anos”, de Alexander Korda, produzido em 1936 e considerado a primeira superprodução de ficção científica da história; e “O Estranho”, drama noir escrito, dirigido e estrelado por Orson Welles em 1946. O canal também traz clássicos recentes como “Slacker”, de 1991, filme de estreia de Richard Linklater; o premiadíssimo “Pão e Tulipas”', realizado em 2000, pelo diretor italiano Silvio Soldini; e “The Conspirator”, filme independente de Robert Redford, produzido em 2010, que narra o julgamento de Mary Surratt, mãe de um dos homens que ajudou a planejar o assassinato de Abraham Lincoln. Outro destaque do canal é o documentário “Home”, do fotógrafo francês Yann Arthus-Bertrand, que retrata a terra por meio da visão de um pássaro, sobrevoando mais de 50 países e mostrando as fragilidades do planeta. Para acessar: http://bit.ly/nacjoa

Toda a obra de Charlie Chaplin, como ator, disponível on-line 

O Open Flix é um canal do YouTube, administrado pelos criadores do site Cinevault, portal especializado em filmes de domínio público ou que tiveram seus direitos de exibição cedidos. O acervo tem mais de 1000 filmes disponíveis on-line. Um dos destaques do canal é uma seção destinada a Charlie Chaplin, onde estão disponibilizados todos os filmes (integrais ou trechos) em que Chaplin atuou como ator. Charles Spencer Chaplin nasceu em Londres, em 16 de abril de 1889, e morreu em 25 de dezembro de 1977. Foi o maior nome da era do cinema mudo, notabilizado pelo uso de mímica e da comédia pastelão. Sua carreira também foi uma das mais profícuas da história do cinema, durou mais de 75 anos, desde suas primeiras atuações quando ainda era criança nos teatros do Reino Unido, durante a Era Vitoriana, até sua morte aos 88 anos, em 1977. Seu principal e mais famoso personagem foi o vagabundo Carlitos. Em 1972, Charlie Chaplin recebeu o Oscar pelo conjunto de sua obra e pelo “efeito incalculável que teve em tornar os filmes uma forma de arte”. Durante a cerimônia de entrega do prêmio recebeu a mais longa ovação da história do Oscar, foi aplaudido de pé, por cerca de dez minutos. Para acessar o canal do YouTube: http://bit.ly/pm96qg Para acessar o portal Cinevault: http://www.cinevault.com/

Documentários 

1300 documentários, divididos em 40 categorias, para ver on-line. Para acessar: http://bit.ly/e3k58

500 filmes britânicos para ver no YouTube 

Celebrating Classic British Films é um canal do YouTube que reúne cerca de 500 clássicos do cinema britânico em versões integrais. O canal, criado por um fã, faz uma retrospectiva do cinema britânico de 1920 a 1980. Desde diretores clássicos, que se tornaram imortais por seus filmes, como Alfred Hitchcock e David Lean, até nomes mais recentes e ainda atuantes como Stephen Frears, Peter Greenaway, Mike Newell e Ken Loach. Entre as preciosidades do canal está a primeira versão fílmica de “Sherlock Holmes”, dirigida por Leslie S. Hiscott, em 1931, além das estreias dos diretores Stephen Frears, no curta-metragem “The Burning”, de 1968, e Alfred Hitchcock, no filme “O Jardim do Prazer”, de 1925. Também está disponível o primeiro grande sucesso de Hitchcock, “O Locatário”, de 1927, baseado nos assassinatos de Jack, o Estripador. Do lendário David Lean estão disponíveis, “Grandes Esperanças”, de 1946, e “Oliver Twist”, de 1948, ambos baseados na obra de Charles Dickens, além do clássico “A Ponte do Rio Kwai”, que venceu o Oscar de melhor filme em 1957. Também estão disponíveis os filmes de estreia de Peter Greenaway, “Death of Sentiment”, 1962, e “Diary of a Young Man”, de Ken Loach, de 1964. Outra raridade do canal é “The Kindness of Strangers”, produzido originalmente para televisão por Mike Newell, em 1967. Entre os clássicos recentes está “Women in Love” (“Mulheres Apaixonadas”), adaptado do livro de homônimo de D.H. Lawrence e dirigido por Ken Russell, em 1970. Os filmes estão em inglês, mas legendas em 30 idiomas podem ser ativadas no próprio Youtube. Para acessar: http://bit.ly/qNJGxW

O primeiro filme 

O primeiro filme da história, gravado por Louis Lumière e por Auguste Lumière, em 1895. Para acessar: http://bit.ly/yAOVwf

Simon's Cat 

Canal do You Tube dedicado ao gato mais travesso da internet. Para acessar: http://bit.ly/TmrN

Acervo da televisão europeia 

Acervo on-line da televisão europeia. O conteúdo pode ser consultado a partir de 1900. Para acessar: http://bit.ly/y7wK2w

Toda a obra poética de Fernando Pessoa para download 

O portal Domínio Público disponibilizou para download a poesia completa de Fernando Pessoa. Embora sem uma ordem cronológica adequada e com edições repetidas, o acervo contempla toda a obra conhecida do poeta português. Fernando Pessoa nasceu em Lisboa, em junho de 1888, e morreu em novembro de 1935, na mesma cidade. É considerado, ao lado de Luís de Camões, o maior poeta da língua portuguesa e um dos maiores da literatura universal. Seus poemas mais conhecidos foram assinados pelos heterônimos Álvaro de Campos, Ricardo Reis, Alberto Caeiro, além de um semi-heterônimo, Bernardo Soares, que seria o próprio Pessoa, um ajudante de guarda-livros da cidade de Lisboa e autor do “Livro do Desassossego”, uma das obras fundadoras da ficção portuguesa no século XX. Além de exímio poeta, Fernando Pessoa foi um grande criador de personagens. Mais do que meros pseudônimos, seus heterônimos foram personagens completos, com biografias próprias e estilos literários díspares. Álvaro de Campos, por exemplo, era um engenheiro português com educação inglesa e com forte influência do simbolismo e futurismo. Ricardo Reis era um médico defensor da monarquia e com grande interesse pela cultura latina. Alberto Caeiro, embora com pouca educação formal e uma posição anti-intelectualista (cursou apenas o primário), é considerado um mestre. Com uma linguagem direta e com a naturalidade do discurso oral, é o mais profícuo entre os heterônimos. São seus “O Guardador de Rebanhos”, “O Pastor Amoroso” e os “Poemas Inconjuntos”. O crítico literário Harold Bloom, em entrevista à revista “Época”, afirmou que a obra de Fernando Pessoa é o legado da língua portuguesa ao mundo. Para acessar: http://bit.ly/ffoF7T

O vocabulário de Machado de Assis 

Uma página com os termos mais utilizados pelo escritor. Para acessar: http://bit.ly/Atjp0J

100 clássicos literários para download 

Lançado em 2004, o Domínio Público é um dos maiores portais de conteúdo livre para download do mundo. O acervo é composto por obras em domínio público ou que tiveram seus direitos de divulgação cedidos pelos detentores legais. No Brasil, os direitos autorais duram setenta anos contados de 1° de janeiro do ano subsequente à morte do autor. Fiz uma compilação com 100 obras, entre autores brasileiros e estrangeiros, escolhidas entre os 10 mil títulos disponíveis no portal. A lista, traz desde livros seminais, formadores da cultural ocidental, como “Arte Poética”, de Aristóteles, até o célebre “Ulisses”, de James Joyce, considerado um dos livros mais influentes do século 20, além de clássicos brasileiros e portugueses. Entre os livros escolhidos estão “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri; “Don Quixote”, de Miguel de Cervantes; “Os Lusíadas”, de Luís Vaz de Camões; “A Metamorfose”, de Franz Kafka; “A Volta ao Mundo em Oitenta Dias”, de Júlio Verne; “Os Escravos”, de Castro Alves; “Via-Láctea”, de Olavo Bilac; “A Escrava Isaura”, de Bernardo Guimarães; “Poemas”, de Safo; “Uma Estação no Inferno”, de Arthur Rimbaud; “O Homem que Sabia Javanês e Outros Contos”, de Lima Barreto; “Lira dos Vinte Anos”, de Álvares de Azevedo; “História da Literatura Brasileira”, de José Veríssimo Dias de Matos; “Eu e Outras Poesias”, de Augusto dos Anjos; “A Esfinge Sem Segredo”, de Oscar Wilde; “Schopenhauer”, de Thomas Mann; “O Elixir da Longa Vida”, de Honoré de Balzac; “Cândido”, de Voltaire; “Viagens de Gulliver”, de Jonathan Swift; “Utopia”, de Thomas Morus; “Canção do Exílio”, de Gonçalves Dias; “A Carne”, de Júlio Ribeiro; “Os Sertões”, de Euclides da Cunha; além das principais obras de William Shakespeare, Fernando Pessoa, Machado de Assis, Florbela Espanca e Eça de Queirós. Para fazer o download basta clicar sobre o livro selecionado. Para acessar: http://bit.ly/pGpYjD

As entrevistas da Paris Review 

Todas as entrevistas da lendária “Paris Review”. São mais de 200 entrevistas com nomes como T.S Eliot, Ernest Hemingway, Jorge Luis Borges, William Burroughs, Simone de Beauvoir, Jack Kerouac. Para acessar: http://bit.ly/9pPkDI

As grandes entrevistas da Playboy 

As grandes entrevistas da “Playboy” americana, disponíveis on-line (algumas antológicas como as de Martin Luther King e John Wayne). Para acessar: http://bit.ly/eYCGGy

Textos fundadores do Modernismo 

20 revistas históricas, que publicaram os textos fundadores do Modernismo, disponíveis on-line. Os textos foram publicados entre 1900 e 1922. Para acessar: http://bit.ly/xPMvmm

60 obras sobre os principais pensadores da educação para download

O Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção, em par­ce­ria com a Unes­co e a Fun­da­ção Jo­a­quim Na­bu­co, dis­po­ni­bi­li­zou pa­ra downlo­ad a Co­le­ção Edu­ca­do­res, uma sé­rie com 62 li­vros so­bre per­so­na­li­da­des da edu­ca­ção. A co­le­ção traz en­sai­os bi­o­grá­fi­cos so­bre 30 pen­sa­do­res bra­si­lei­ros, 30 es­tran­gei­ros, e dois ma­ni­fes­tos: “Pi­o­nei­ros da Edu­ca­ção No­va”, de 1932, e “Edu­ca­do­res”, de 1959. A es­co­lha dos no­mes pa­ra com­por a co­le­ção foi fei­ta por re­pre­sen­tan­tes de ins­ti­tu­i­ções edu­ca­cio­nais, uni­ver­si­da­des e Unes­co. O cri­té­rio pa­ra a es­co­lha foi re­co­nhe­ci­men­to his­tó­ri­co e o al­can­ce de su­as re­fle­xões e con­tri­bui­ções pa­ra o avan­ço da edu­ca­ção no mun­do. No Bra­sil, o tra­ba­lho de pes­qui­sa foi fei­to por pro­fis­si­o­nais do Ins­ti­tu­to Pau­lo Frei­re. No pla­no in­ter­na­ci­o­nal, foi tra­du­zi­da a co­le­ção Pen­seurs de l’édu­ca­ti­on, or­ga­ni­za­da pe­lo In­ter­na­ti­o­nal Bu­re­au of Edu­ca­ti­on (IBE) da Unes­co, em Ge­ne­bra, que reú­ne al­guns dos mai­o­res pen­sa­do­res da edu­ca­ção de to­dos os tem­pos e cul­tu­ras. In­te­gram a co­le­ção os se­guin­tes edu­ca­do­res/pen­sa­do­res: Al­ceu Amo­ro­so Li­ma, Al­fred Bi­net, Al­mei­da Jú­ni­or, An­drés Bel­lo, An­ton Maka­renko, An­to­nio Gram­sci, Aní­sio Tei­xei­ra, Apa­re­ci­da Joly Gou­veia, Ar­man­da Ál­va­ro Al­ber­to, Aze­re­do Cou­ti­nho, Ber­tha Lutz, Bog­dan Su­cho­dolski, Carl Ro­gers, Ce­cí­lia Mei­re­les, Cel­so Su­cow da Fon­se­ca, Cé­les­tin Frei­net, Darcy Ri­bei­ro, Do­min­go Sar­mi­en­to, Dur­me­val Tri­guei­ro, Ed­gard Ro­quet­te-Pin­to, Fer­nan­do de Aze­ve­do, Flo­res­tan Fer­nan­des, Fre­de­ric Skin­ner, Fri­e­drich Frö­bel, Fri­e­drich He­gel, Fro­ta Pes­soa, Ge­org Kers­chen­stei­ner, Gil­ber­to Freyre, Gus­ta­vo Ca­pa­ne­ma, Hei­tor Vil­la-Lo­bos, He­le­na An­ti­poff, Hen­ri Wal­lon, Hum­ber­to Mau­ro, Ivan Il­lich, Jan Amos Co­mê­nio, Je­an Pi­a­get, Je­an-Jac­ques Rous­se­au, Je­an-Ovi­de De­croly, Jo­hann Her­bart, Jo­hann Pes­ta­loz­zi, John Dewey, Jo­sé Mar­tí, Jo­sé Má­rio Pi­res Aza­nha, Jo­sé Pe­dro Va­re­la, Jú­lio de Mes­qui­ta Fi­lho, Liev Se­mio­no­vich Vygotsky, Lou­ren­ço Fi­lho, Ma­no­el Bom­fim, Ma­nu­el da Nó­bre­ga, Ma­ria Mon­tes­so­ri, Ní­sia Flo­res­ta, Or­te­ga y Gas­set, Pas­cho­al Lem­me, Pau­lo Frei­re, Ro­ger Cou­si­net, Rui Bar­bo­sa, Sam­paio Dó­ria, Sig­mund Freud,Val­nir Cha­gas, Édou­ard Cla­pa­rè­de e Émi­le Durkheim. Pa­ra aces­sar: http://bit.ly/fy7rhp

John Fante inédito 

Um texto de John Fante, do livro póstumo The Big Hunger, ainda inédito no Brasil. Traduzido por Clara Averbuck. Para acessar: http://bit.ly/y4IESh

Ezra Pound em áudio 

A obra completa de Ezra Pound em áudio. Para acessar: http://bit.ly/bClKr1

A biblioteca de Julio Cortázar 

Livros, dedicatórias, anotações, bilhetes, recortes de jornal de um dos mais importantes escritores de todos os tempos, o argentino Julio Cortázar. Para acessar: http://bit.ly/4CvMIy

As 100 obras-primas da música clássica para ouvir on-line 

O site de compartilhamento de músicas on-line Grooveshark disponibilizou uma playlist com as 100 obras-primas da música clássica. A lista, que compreende o período de 1685 a 1928, é uma compilação da série “Top 100 Masterpieces of Classical Music”, publicada em 10 volumes, em 1994. Cada um dos volumes abrange um período de 40 anos e reúne as 10 dez melhores peças de cada período executadas por orquestras diferentes. A lista traz nomes como Johann Sebastian Bach, Johann Pachelbel, George Frederick Handel, Henry Purcell, Antonio Vivaldi, Tomaso Albinoni, Christoph Willibald Gluck, Wolfgang Amadeus Mozart, Ludwig van Beethoven, Franz Joseph Haydn, Gioachino Rossini, Franz Schubert, Felix Mendelssohn, Frederic Chopin, Carl Maria von Weber e Robert Schumann. O primeiro período, 1685 a 1730, traz Bach, Pachelbel, Handel, Purcell, Vivaldi e Albinoni. O segundo período, de 1731 a 1775, traz Handel, Gluck, Bach, Mozart e Vivaldi. O terceiro período, de 1776 a 1787, traz Mozart. O quarto período, de 1788 a 1810, traz Mozart, Beethoven e Haydn. O quinto período, de 1811 a 1841, traz Rossini, Schubert, Mendelssohn, Chopin, Weber e Schumann. O sexto período, de 1842 a1853, traz Mendelssohn, Liszt, Verdi, Schumann, Wagner e Suppe. O sétimo período, de 1854 a 1866, traz Offenbach, Rubinstein, Liszt, Brahms, Verdi, Grieg, Smetana, Suppe e Strauss II. O oitavo período, de 1867 a1876, traz Tchaikovsky, Brahms, Smetana, Wagner , Grieg, Bizet, Delibes e Strauss. O nono período, de 1877 a 1893, traz Tchaikovsky, Dvorak, Rimsky-Korsakov, Grieg, Strauss II e Wagner. O decimo período, de 1894 a1928, traz Strauss, Mahler, Sibelius, Rimsky-Korsakov, Massenet, Elgar, Dvorak e Ravel. Para ouvir: http://tny.gs/p2afmX

O maior acervo on-line de música brasileira

O acervo musical do Ins­tituto Moreira Salles disponibiliza aproximadamente 28 mil gravações, a maior parte raridades que foram digitalizadas de discos de 78 rpm de grandes coleções pessoais. Fazem parte do acervo os arquivos do músico Alfredo da Rocha Vianna Filho, o Pixi­nguinha; do jornalista e pesquisador musical José Ramos Tinhorão; do fotógrafo e pesquisador Humberto Franceschi; do pianista e compositor Er­nesto Nazareth; do jornalista e produtor musical Walter Silva; da pianista e compositora Chiquinha Gonzaga; e da cantora Elizeth Cardoso, considerada uma das mais importantes intérpretes da música brasileira em todos os tempos. Destaque para a música de Francisco Alves, Mario Reis e Garoto. Para acessar: http://bit.ly/u29qZG 

200 clássicos da música erudita on-line 

O Classical Music Only Channel, canal do YouTube dedicado a música erudita, disponibiliza desde 2008 clássicos para audição on-line. Nomes como Friedrich Kreisler, Rachmaninoff, Brahms, Tchaikovsky, Johann Sebastian Bach, Wagner, Schubert, Mendelssohn, Beethoven, Strauss, Chopin, Liszt, além de óperas de Rossini, Jacques Offenbach, Franz von Suppé, Nicolai, Mozart e Verdi podem ser ouvidas no canal. Para acessar: http://bit.ly/mQa8T8

Rádio Jazz trompete 

Os melhores trompetistas de jazz do mundo. Para acessar: http://bit.ly/diTJhP

Buscador de músicas e artistas 

O projeto Musikki é uma ferramenta de busca de conteúdo musical que permite buscas simultâneas no YouTube, Last.FM, Amazon, Flickr e Twitter. Diferentemente de outros buscadores, o Musikki agrega numa única página todo o resultado: biografia, vídeos, fotos, agenda de concertos e últimos tweets postados sobre o assunto. O projeto, que ainda está em fase de teste, foi desenvolvido por alunos da Universidade de Aveiro, de Portugal. Para acessar: http://www.musikki.com/

Criador de playlist com vídeos do YouTube 

Um buscador de música que monta uma playlist do artista pesquisado e outra por afinidade musical. Para acessar: http://bit.ly/16ET8c

A primeira fotografia 

A primeira fotografia da história. Feita em 1826 e atribuída ao francês Joseph Nicéphore Niépce. Para acessar: http://on.fb.me/yWC4wk

A primeira fotografia colorida 

A primeira fotografia colorida da história, feita pelo físico James Clerk Maxwell, em 1861. Para acessar: http://on.fb.me/z1xTz8

A maior coleção de fotografias históricas do mundo 

O acervo da Library of Congress traz fotografias de 1830 a 2010. Para acessar: http://1.usa.gov/gTYU7e

20 mil fotos de 40 fotógrafos premiados

O site Alafoto disponibilizou, para uso não comercial, uma nova galeria com aproximadamente 20 mil imagens. A nova seção, chamada de “Bravíssimo”, é composta por 40 premiados fotógrafos e abrange o período de 1958 a 2010. Fazem parte do acervo fotógrafos de 15 nacionalidades: a alemã Claudia Rogge, especializada em nus; o fotógrafo gótico americano Chris Anthony, uma das lendas da internet; o belga Christophe Gilbert, considerado o rei do Photoshop; o russo Andrey Razoomovsky, um dos maiores especialistas em arte erótica do mundo; o polonês Jarek Kubicki, que se notabilizou por suas ilustrações para capas de CDs famosos; o italiano Gabriele Rigon, especialista em fotografia de guerra; o canadense Michael Levin, um mito da fotografia contemporânea, especializado em retratar o cotidiano de pessoas anônimas; Rene Maltete, francês que ficou conhecido por capturar cenas com humor de duplo sentido; o inglês Michael Kenna, um dos maiores especialistas da história da fotografia em preto e branco; o suíço Bruno Bisang, que imortalizou Claudia Schiffer, Huntziger Michelle e Mônica Bellucci; o francês Hedi Slimane, fotógrafo oficial de Amy Winehouse e responsável por suas últimas fotos em estúdio; o britânico Gavin Bond, o mais famoso fotógrafo de Hollywood; o marfinense Ben Heine, especializado em ilustrações e desenhos; o russo Russell Croman, o maior nome da fotografia espacial de todos os tempos; a russa Elena Kalis, que ficou famosa pela série de fotografias feitas dentro da água; o suíço Guido Mocafico, especializado em natureza morta; o húngaro Sarolta Ban, que mistura fotografia e arte digital; o americano Spencer Tunick, conhecido pelas suas fotografias de grandes aglomerações de pessoas; a australiana Anne Geddes, uma das fotógrafas mais respeitadas do mundo, que notabilizou-se pelo registro de bebês e crianças pequenas; o inglês Lee Jeffries, especializado em fotografia de rua; o francês Gilbert Garcin, reverenciado por seu trabalho com colagens e esculturas; o lituano Ben Shahn, que ficou famoso como ilustrador editorial e influenciou várias gerações de ilustradores e designers; o escocês Albert Watson, que era cego de um olho, mas imortalizou nomes como Kate Moss, Alfred Hitchcock, Eric Clapton, Keith Richards e Mick Jagger; o britânico Tim Flach, especializado em fotografias de animais, sobretudo cães, gatos e cavalos; o americano Carl Bengtsson, fotógrafo de moda que mistura passado e presente; o lendário fotógrafo publicitário italiano Thomas Lavezzari; a canadense Corrie White, que ficou conhecida por suas fotografias de gotas em close-up; o norte-americano Thomas Shahan, especialista em macro fotografia; o parisiense Nicolas Guerin, um dos mais famosos fotógrafos de moda da França; o americano Kevin Lynch, especializado em urbanismo e autor de uma das fotografias mais influentes da arquitetura (A Imagem da Cidade); e o iraniano Firooz Zahedi, que se imortalizou por seus trabalhos nas revistas “The New Yorker”, “Vanity Fair”, “ Time”, “Esquire” e “Premiere”. Para acessar: http://bit.ly/ov2AEr

Memorial do Holocausto 

38 mil fotos do Memorial do Holocausto disponíveis on-line. Para acessar: http://t.co/zY9iMJX

Fotografias panorâmicas da cidade de Veneza 

O fotógrafo Gilles Vidal, especializado em fotografia panorâmica, criou o projeto 360venezia, no qual é possível passear virtualmente pela lendária cidade italiana. Lugares como Bacino Orseolo, Palazzo Ducale, Rio del Ponte Delle Beccarie, Ponte dei Sospiri, Ponte di Rialto, Piazza San Marco, Sestiere di Santa Croce, Rio Della Misericordia, Chiesa di San Vidal, Ponte de la Rioda, Sestiere di Castello, Campo San Tomà, Canal Grande, San Pietro, Peschiera, Maddalena, San Apostoli, San Giacomo, Scuola San Gio, além de uma fotografia panorâmica de toda a cidade, podem ser conferidos em alta definição. Para acessar: http://www.360venezia.com

Fotodocumentários 

Fotodocumentários realizados pela lendária agência Magnum, de Henri Cartier-Bresson. Para acessar: http://bit.ly/5ob7S

Querida fotografia

O Dear Photograph é um projeto de fotografia colaborativa que tem como slogan “Take a Picture of a Picture from the Past in the Present” (Tire uma foto da foto do passado no presente). O projeto propõe sobrepor uma foto antiga sobre o mesmo cenário, em dias atuais. O Dear Photograph foi criado pelo canadense Taylor Jones, de 21 anos, e virou sensação na internet. Uma forma divertida de documentar uma lembrança e comparar o passado e o presente. Para participar do projeto basta enviar a foto e uma pequena legenda para o e-mail indicado no site. Para acessar: http://dearphotograph.com/

Imagens gratuitas 

Um buscador de imagens gratuitas de alta resolução. Para acessar: http://bit.ly/8ZxBSQ

Passeie pelas cidades-sede da Copa 2014 

O portal Brasil 360° propõe uma viagem interativa pelas cidades brasileiras que serão sedes da Copa do Mundo de 2014. Das 12 cidades-sede (Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo), cinco já têm vídeos disponíveis no portal: Rio, Cuiabá, Curitiba, Manaus e Salvador. Até o começo de 2012 todas as cidades estarão disponíveis. O projeto, desenvolvido por uma empresa de tecnologia de Portugal, foi encomendado pela Embratur. Para navegar pelas imagens basta pressionar o mouse. Para acessar: http://bit.ly/oiwlRt

Paul Cézanne 

A obra completa de Paul Cézanne. Para acessar: http://bit.ly/bTnQA1

Leonardo da Vinci

O caderno secreto de Leonardo da Vinci. Para acessar: http://t.co/uZUe9ZG

63 mil pinturas de cinco mil artistas 

O projeto Your Paintings, da rede de notícias britânica BBC em parceria com a organização Public Catalogue Foundation, pretende disponibilizar para consulta on-line todo o acervo de pinturas a óleo dos museus e das galerias do Reino Unido. O acervo atual disponível para visitação é composto de 63 mil pinturas, de aproximadamente cinco mil artistas e 850 galerias. As pinturas compreendem o período de 1400 a 1990. O objetivo dos curadores do Your Paintings é catalogar e disponibilizar aproximadamente 200 mil obras nos próximos dois anos. Por meio da ferramenta de busca, os usuários podem localizar pinturas pelo nome do artista, nome da obra, museu ou região. Também é possível fazer uma visita guiada on-line com especialistas, ou montar uma galeria pessoal com as pinturas prediletas. Outro destaque do Your Paintings é uma galeria com os 36 pintores mais conhecidos, com obras inclusas no site, entre eles, Leonardo da Vinci, Francis Bacon, William Blake, Georges Braque, Delacroix, Caravaggio, Van Gogh, Raphael, Botticelli, Monet, Cézanne e Renoir. Para acessar: http://bbc.in/pdekdb

Tour virtual por pinturas famosas 

Navegue pelo “O Nascimento de Vênus”, de Botticelli, e outras pinturas famosas em 28 milhões de pixels. Para acessar: http://bit.ly/wxWhaA

3 milhões de lições de pronúncia em 60 idiomas 

O Pronunciator é um serviço on-line que ensina a pronúncia correta de palavras e frases em 60 idiomas. A partir da escolha do seu idioma nativo e de outro, que deseja aprender, ele traz cinco níveis de exercícios: palavras básicas, verbos essenciais, frases simples, frases para turistas e conversação. Todas as aulas são baseadas na audição e repetição. Escolhendo um determinado exercício, o site abrirá uma tela com “play” e alguns botões de comando para você escolher o formato da aula. O Pronunciator pode ser utilizado somente para audição ou pelo sistema de exercício com reconhecimento de voz, em que você repete uma determinada palavra ou frase e o site lhe avisa se sua pronúncia foi correta ou se você deverá deve repeti-la até acertar, podendo assim passar para a aula seguinte. Para acessar: http://www.pronunciator.com

Acervo do grupo Folha

O acervo do grupo Folha abrange 90 anos de história, de 1921 a 2011. São séries completas de três títulos: “Folha da Noite”, diário vespertino criado em 1921; “Folha da Manhã”, edição matutina criada em 1925; e “Folha de S.Paulo”, que resultou da fusão, em 1º de janeiro de 1960, dos dois diários e da “Folha da Tarde” (1949-1959). O acervo também disponibiliza o “Guia Folha”, que circula desde 1997; e a “Revista São Paulo”, lançada 2009. Ao todo, são mais de 25 mil exemplares disponíveis para consultas on-line gratuitas, da Semana de Arte Moderna, em 1922, passando pela ascensão e queda de Hitler, na década de 1940, à Primavera Árabe, onda revolucionária de manifestações e protestos ocorrida no Oriente Médio em 2011. O acervo foi digitalizado de quatro instituições públicas: o Arquivo Público do Estado de São Paulo, a Biblioteca Nacional, a Biblioteca Mário de Andrade, e o Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Para acessar:  http://acervo.folha.com.br/

Educacionais 

144 sites educacionais. Para acessar: http://bit.ly/aMnstP

100 alternativas à Wikipédia 

O portal Free College Classes, especializado em educação on-line, fez uma lista com 100 alternativas à Wikipédia. A compilação reúne bibliotecas, enciclopédias e dezenas de sites de referência em artes, matemática, medicina, música, ciências, esporte, astronomia, tecnologia, língua e literatura. Diferentemente da Wikipédia, que é uma enciclopédia open source, ou seja, que permite que qualquer usuário edite informações tornando-a pouco confiável, os sites que aparecem na lista do Free College Classes, em sua maior parte, são editados por especialistas. Ao todo, são mais de 400 milhões de itens, divididos entre artigos, teses, livros, áudios, vídeos, mapas e imagens para download ou consulta on-line. Embora haja predominância da língua inglesa, conteúdo em 50 idiomas pode ser encontrado. A lista também traz uma seção de simulados e outra para consulta on-line com especialistas. Alguns destaques da lista: Ency­clopedia.com, permite pesquisar em 100 enciclopédias ao mesmo tempo; The Free Library, uma das maiores bibliotecas on-line do mundo com 18 milhões de livros e artigos; Encyclopedia of Life, reúne informações sobre cada espécie de planta, animal, fungos e bactérias que vivem na Terra; Fact Monster, ferramenta direcionada ao público infantil com informações básicas sobre quase tudo que existe; All Music Guide, o maior guia de música da internet; Oxford Music Online, uma espécie de porta de entrada para todos os tipos de pesquisa musical; Encyclopedia Mythica, a maior coleção de recursos e links para assuntos relacionadas a mitologia, religião, folclore e lendas urbanas; Thesaurus Visual, dicionário que mapeia sinônimos e antônimos visualmente; The Straight Dope, faça perguntas sobre qualquer tema para obter respostas personalizadas de um especialista; Bibliomania, site especializado em textos clássicos e raros; Merck Medical Manuals, uma gigantesca coleção de manuais médicos disponíveis para profissionais da saúde; Library of Congress, Biblioteca do Congresso americano, um dos maiores acervos culturais do mundo; Symbols, informações sobre milhares de símbolos, sua história, uso e significados; Nasa Images, o maior acervo de fotografias espaciais da internet; Time and Date, para descobrir o que aconteceu em qualquer dia ou época da história. Para acessar: http://bit.ly/roCABP

Vídeos para educadores 

100 sites especializados em vídeos para educadores. Para acessar: http://bit.ly/nxTOJm

O maior acervo cultural e científico do mundo

A Europeana é o maior acervo cultural e científico on-line do mundo. São 15 milhões de itens, entre imagens, pinturas, desenhos, mapas, fotos, livros, jornais, cartas, diários, vídeos e áudios. Alguns itens e tópicos são mundialmente famosos, como os desenhos de Leonardo da Vinci, as pinturas de Vermeer, e a primeira edição do livro de Isaac Newton “Princípios Matemáticos da Filosofia Natural”, escrito em 1687, sobre as leis do movimento dos corpos. Também há uma seção destinada aos tesouros europeus, documentos raríssimos que datam da Idade Média. Cerca de 1500 instituições participam do projeto, entre elas a British Library de Londres e o Museu do Louvre, de Paris. O projeto Europeana está disponível em 28 línguas. Para acessar: http://europeana.eu/

Biblioteca Britânica 

Acervo on-line de uma das maiores bibliotecas do mundo. Para acessar: http://www.bl.uk/

Steven Spielberg 

Os arquivos de Steven Spielberg. Para acessar: http://bit.ly/2DgxVo

Os 10 melhores começos de livros 

Perguntei a 35 convidados, de díspares perfis, quais eram os melhores inícios de livros que haviam lido. Cada participante poderia indicar até três começos inesquecíveis, de autores brasileiros ou estrangeiros de todas as épocas. 37 livros foram citados, mas apenas 23 obtiveram mais de uma citação. São eles “Crônica de Uma Morte Anunciada”, “Cem Anos de Solidão” e “Amor nos Tempos do Cólera”, de Gabriel García Márquez; “O Lobo da Estepe”, de Hermann Hesse; “Grandes Esperanças”, de Charles Dickens; “O Retrato de Dorian Gray”, de Oscar Wilde; “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “Dom Casmurro”, de Machado de Assis; “1984”, de George Orwell; “Lolita”, de Vladimir Nabokov; “O Estrangeiro”, de Albert Camus; “Um Amor de Swann”, de Marcel Proust; “Trainspotting”, de Irvine Welsh; “Viagem ao Fim da Noite”, de Louis-Ferdinand Céline; “O Apanhador no Campo de Centeio”, de J.D. Salinger; “Notas do Subsolo”, de Dostoiévski; “O Amanuense Belmiro”, de Cyro dos Anjos; “O Complexo de Portnoy”, de Philip Roth; “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa; “Moby Dick”, de Herman Melville; “A Metamorfose”, de Franz Kafka; “O Ventre”, de Carlos Heitor Cony, e “Pergunte ao Pó”, de John Fante. Para acessar: http://bit.ly/v8M1ps

Os 10 melhores começos de livros de autores brasileiros 

Dando sequência à série de melhores começos de livros, perguntei a 20 convidados — escritores, críticos, professores e jornalistas — quais eram os melhores inícios de livros de autores brasileiros. Cada participante poderia indicar até cinco começos, excetuando aqueles que apareceram na primeira lista: “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa; “O Ventre”, de Carlos Heitor Cony; e “O Amanuense Belmiro” de Cyro dos Anjos. 21 livros foram citados, 14 obtiveram mais de uma citação, são eles “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis; “Quase Memória”, de Carlos Heitor Cony; “A Maçã no Escuro”, de Clarice Lispector; “Memórias de um Sargento de Milícias”, de Manuel Antônio de Almeida; “Lavoura Arcaica”, Raduan Nassar; “Deus de Caim”, Ricardo Guilherme Dicke; “Macunaíma”, de Mário de Andrade; “A Morte e a Morte de Quincas Berro D’Água”, de Jorge Amado; “Com Meus Olhos de Cão”, de Hilda Hilst; “O Tempo e o Vento”, de Erico Verissimo; “O Jardim do Diabo”, de Luis Fernando Verissimo; “A Lua Vem da Ásia”, de Campos de Carvalho; e “Dom Casmurro” e “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis. Para acessar: http://bit.ly/yHztKl

Os 10 melhores finais de livros 

Dando sequência à série de melhores trechos de livros, inverti a pergunta, e pedi a 15 convidados — escritores, críticos, professores e jornalistas — que apontassem quais eram os melhores finais de livros da literatura universal. Cada participante poderia indicar até cinco finais, sem se preocupar com a relevância canônica da obra, levando em consideração apenas o gosto pessoal e o prazer proporcionado por ela. 16 livros foram citados, 11 obtiveram mais de uma citação, são eles “Crime e Castigo” e “Notas do Subsolo”, de Fiódor Dostoiévski; “On The Road”, de Jack Kerouac; “Cem Anos de Solidão”, de Gabriel García Márquez; “1984”, de George Orwell; “A Espera dos Bárbaros”, de J. M. Coetzee; “Nada de Novo no Front”, de Erich Maria Remarque; “Lolita”, de Vladimir Nabokov; “O Grande Gatsby”, de F. Scott Fitzgerald, e “O Estrangeiro”, Albert Camus. Dois autores: Fiódor Dostoiévski e Gabriel García Márquez, que aparecem na lista atual, já apareceram na lista de melhores começos, publicada anteriormente. Para acessar: http://bit.ly/wF6M2q

Os 10 melhores poemas de todos os tempos 

Perguntei a 30 convidados — escritores, críticos, professores, jornalistas — entre obras poéticas conhecidas, quais são os melhores poemas de todos os tempos. Cada participante poderia indicar entre um e dez poemas. Nenhum autor poderia ser citado mais de uma vez. 69 poemas foram indicados, mas destes apenas 23 tiveram mais de três citações. São eles: “O Cão Sem Plumas” e “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto; “Campo de Flores” e “A Máquina do Mundo”, de Carlos Drummond de Andrade; “Romanceiro da Inconfidência”, de Cecília Meireles; “Via Láctea”, de Olavo Bilac; “Canção do Exílio”, de Gonçalves Dias; “Romanceiro Gitano”, de Federico García Lorca; “Poema do Fim”, de Marina Tzvietáieva, “Nalgum Lugar em que Nunca Estive”, de e. e. cummings; “Anabase”, de Saint-John Perse; “A Divina Comédia’, de Dante Alighieri; “Funeral Blues”, de W.H. Auden; “O Corvo”, de Edgar Allan Poe; “Terra Desolada”, de T.S. Eliot; “Tabacaria”, de Fernando Pessoa; “Poema Sujo”, de Ferreira Gullar; “Cântico Negro”, de José Régio; “À Espera dos Bárbaros”, de Konstantinos Kaváfis; “E Então, Que Quereis?...”, de Vladímir Maiakóvski; “Os Estatutos do Homem”, de Thiago de Mello, e “Hugh Selwyn Mauberly”, de Ezra Pound. Para acessar: http://bit.ly/wLWZUH

30 contos de até 100 caracteres 

Embora não seja reconhecido como um gênero literário — sendo associado às tendências de vanguarda e ao minimalismo —, os “microcontos” ganharam um grande número de adeptos nas duas últimas décadas. A partir do início dos anos 1990, estudos e antologias começaram a abordar o tema de forma enfática, resultando em centenas de publicações em todo o mundo. Ainda que pareça, as micronarrativas de ficção não são algo recente. Grandes nomes da literatura mundial como Tolstói, Jorge Luis Borges, Bioy Casares, Julio Cortázar e Ernest Hemingway já incursionaram pelo tema. O escritor guatemalteco Augusto Monterroso, que morreu em 2003, é tido como um dos fundadores do “gênero” com o conto “O Dinossauro”, escrito com apenas trinta e sete letras e considerado o menor da literatura mundial, na época: “Quando acordou o dinossauro ainda estava lá.” O norte-americano Ernest Hemingway também é o autor de outro famoso microconto, com apenas vinte e seis letras: “Vende-se: sapatinhos de bebê nunca usados.” No Brasil, o pioneiro foi o escritor Dalton Trevisan, com o livro “Ah, é?”, de 1994. Mesmo não havendo nenhuma regra clara, uma das definições para o microconto seria o limite de 150 caracteres, incluindo espaços. Para acessar: http://bit.ly/wdKMUt

Melhores filmes do IMDb 

Os filmes mais bem avaliados no IMDb. Para acessar: http://bit.ly/h0zye

Bibliotecas impressionantes 

As 35 bibliotecas mais impressionantes do mundo. Para acessar: http://t.co/hX6Jvvgu

Os livros mais caros do Brasil

O Estante Virtual, fundado em 2005, é o maior portal de livros usados do Brasil e um dos maiores do mundo. São mais de 1.900 sebos de 330 cidades cadastrados. Todos os usuários têm à disposição sua própria estante e podem vender livros para leitores de mais de 30 países. Um dos destaques do site é a seção de livros raros, onde estão à venda relíquias que “valem” uma pequena fortuna. Por exemplo, um exemplar de 1870, da primeira edição de “20 mil Léguas Submarinas”, de Júlio Verne, está anunciado por 99 mil reais, fora o frete. Um exemplar da primeira edição “Jornal do Commercio”, datado de 1º de outubro de 1827, tem o preço sugerido de 51 mil. Para ver toda a seção de raros, que tem aproximadamente 90 mil livros cadastrados, acesse este endereço: http://bit.ly/q7zy28

As cartas perdidas de Caio Fernando Abreu 

Um tesouro guardado no arquivo do escritor Nei Duclós por 35 anos traz por inteiro o jovem Caio F, então com 27 anos, com suas lutas, medos e sonhos, reportando com lucidez e coragem a época e o país em que vivia, a profissão que abraçou e seus complicados habitantes. Para acessar: http://bit.ly/zQlK44 e http://bit.ly/yEgnol (parte 2). 

Vinhos de A a Z 

Os termos e jargões mais utilizados, organizados em ordem alfabética. Para acessar: http://bit.ly/doQbOh

Conjugador de verbos on-line 

Base de verbos conjugados da língua portuguesa com aproximadamente 280 mil registros. Para acessar: http://bit.ly/5OOoj

Paleta de cores on-line 

Paleta de cores em 3D. Para acessar: http://t.co/wpfh26A

Corpo humano em 3D 

Navegue pelo corpo humano em 3D (é mais detalhado do que o aplicativo do Google). Para acessar: http://bit.ly/mqg8AP

Relógio atômico 

Relógio com precisão atômica. Para acessar: http://t.co/KaM6NhI

Texto e imagem da Revista Bula ----> recomendadíssima!

Um comentário:

  1. Oi, Du!

    Muito obrigada por partilhar as informações. O que é bom precisa ser divulgado.
    beijo

    ResponderExcluir

^ Suba