Quem nunca?

25/04/2012



A ilusão de que podemos controlar…

“A ilusão de que podemos controlar os acontecimentos – se fizermos tudo direito – de que podemos fazer com que as pessoas nos amem – se fizermos as coisas certas – e de poder garantir finais felizes fazendo por merecê-los é realmente uma ilusão, e uma ilusão muito destrutiva. Não importa o quanto amemos nossos pais e não importa quanto dinheiro gastemos em cuidados médicos com eles, eles irão envelhecer e morrer, e nos torturaremos desnecessariamente pensando que poderíamos ter evitado isso (especialmente se, lá no fundo de nós, lembrarmos de um dia em que lhes desejamos mal). Não importa o quanto nos esforcemos para sermos esposos perfeitos e pais perfeitos, alguns casamentos morrerão de morte natural, a despeito de nossos maiores esforços, e alguns filhos nos desapontarão ao crescer. Bater com a cabeça na parede e repetir as palavras: “Se ao menos eu tivesse agido de outra maneira” serve apenas para piorar a situação”. 

(Harold Kushner em – O quanto é preciso ser bom?)

Imagem daqui
^ Suba