Pastoreando mágoas...

04/07/2012


"Coisa bem diferente teria sido a vida para ambos se tivessem sabido a tempo que era mais fácil contornar as grandes catástrofes matrimoniais do que as misérias minúsculas de cada dia. Mas se alguma coisa haviam aprendido juntos era que a sabedoria nos chega quando já não serve para nada."

"É claro que o incidente lhes deu a oportunidade de evocar outros arrufos minúsculos de outras tantas manhãs perturbadas. Uns ressentimentos mexeram em outros, reabriram cicatrizem antigas, transformaram-na em feridas novas, e ambos se assustaram com a comprovação desoladora de que em tantos anos de luta conjugal não tinham feito mais do que pastorear rancores."

"Mesmo quando já velhos e apaziguados, evitavam evocá-la, porque as feridas mal cicatrizadas voltavam a sangrar como se fosse de ontem."

[Trechos do livro "O amor nos tempos do cólera, de Gabriel Garcia Marquez]


É muito triste passar a vida inteira “pastoreando” mágoas ao lado de uma pessoa. O livro é simplesmente uma obra-prima e adorei o filme (que tem o único defeito de ser falado em inglês, tendo sido filmado na Colômbia), é fiel ao livro e muito bem feito. Houve quem saísse feliz do cinema dizendo "finalmente ele conseguiu, depois de 50 anos"... e eu frustrada justamente por isto, "uma vida inteira desperdiçada" - eu pensava, e chorava! Lembro que me senti exatamente da mesma forma quando terminei o livro.

[Fernanda Montenegro está muito bem no filme!]
Florentino sofre de amor. O sentimento puro que arranca mais pedaços do que a guerra ou a epidemia de cólera que tanto matavam no mundo real. O tempo passa, as conjunturas se modificam, mas o amor permanece. E machuca. O filme “O amor nos tempos do cólera” é a prova de que até a história mais piegas pode ser transformada no sentimento mais tocante nas mãos de um grande escritor ou de um grande diretor. Existe algo mais clichê do que falar de amor?


Eu não me vejo numa situação assim. Então eu vou tentando, acertando um pouco aqui, errando outro tanto ali, mas em paz com meus sentimentos e aprendendo a ser mais humana. Prefiro várias tentativas frustradas a um único amor de ilusão.

É uma obra que merece ser vista, ou lida, e apreciada. 

Imagens daqui, daqui , daqui e daqui
^ Suba