...de um médico, o receituário da felicidade - use sem moderação!

12/02/2013

Imagem daqui

Minitratado

Esta manhã, 6h15, depois de 6h de sono bem dormido (e merecido) acordei muito feliz. Pensei na conturbada noite do dia anterior e percebi que, apesar de até ter motivos para estar triste e de serem quase 4h da madrugada do 8º dia em que eu não conseguia ter mais do que 4h de descanso, também tinha ido deitar muito, muito feliz. Então me veio uma questão à cabeça: Será que todas as pessoas estão assim, tão de bem com a vida que pouco se abalam? A julgar pelo que tenho visto nos rostos de tanta gente que passa por mim e de tantos fatos desagradáveis que acontecem todos os dias, parece infelizmente que não. A maioria das pessoas, aparentemente, não está satisfeita nem consigo mesma, nem com a vida que leva. Em vez de curtir o momento presente, o dia de hoje, muita gente vive se lamentando de um passado perdido ou esperando por um futuro próximo ou distante, seja a sexta-feira, seja o feriado, seja as férias, seja o que for. Foi aí que me dei conta de que, talvez, eu tivesse algo de bom para compartilhar com as pessoas da minha relação ou com quem mais tivesse interesse em algumas dicas. É só por isto e no melhor intuito de ajudar que me permito a ousadia de trazer uns poucos conselhos (sem uma ordem definida) baseados no que aprendi com a vida e que funcionam muito bem para mim:

1. Acordar cedo.
Não é preciso madrugar, mas não se pode acordar em cima da hora. O dia deve ser iniciado com tranquilidade. Se o stress vai atacar de qualquer jeito no decorrer do dia, que seja o mais tarde possível.

2. Sorrir!
Mesmo parecendo que não há motivo pra isto, sorria. Comece o dia abrindo totalmente a janela, deixando o sol e um novo ar entrar, respirando bem fundo com uma boa espreguiçada e sorria. De preferência com um breve alongamento a seguir e mais um grande sorriso. Cada novo sorriso é mais fácil e mais gostoso do que o anterior.

3. Água.
Tome um grande copo d'água com bastante calma e depois tome um bom banho para acordar de vez. É estimulante para o corpo e relaxante para a mente. Tome pelo menos 2 litros por dia, mas evite tomar água ou qualquer líquido junto com a comida: não é assim que a digestão funciona e fica difícil se sentir bem com problemas digestivos.

4. Comer.
É muito difícil ser feliz com fome e com um corpo pouco saudável. Coma ao menos uma fruta pela manhã e faça pelo menos mais 3 refeições ao dia. Quanto mais colorido o prato, mais saudável. Coma de tudo, mas não exagere nos carboidratos e evite refrigerantes.

5. Descansar.
Um corpo esgotado não é um bom refúgio para a felicidade. Procure dormir pelo menos 6h por noite. Se os problemas atrapalham o sono, aprenda a afastá-los pelo menos na hora de dormir, usando técnicas de relaxamento e/ou meditação. Se você não conhece nenhuma, faça algumas aulas de ioga.

6. Amar.
O amor nem sempre é justo com a gente, mesmo assim sempre vale a pena. Ame a família, ame os amigos, ame seus projetos, ame seu trabalho, ame seu amor, mas acima de tudo ame a você mesmo. Nenhum outro amor pode ser colocado acima do amor-próprio; pode não parecer nada romântico, mas é a mais pura verdade. Quando duas pessoas se amam, elas continuam a ser duas pessoas. Esqueça esta bobagem de duas metades, não deixe que o outro mutile quem você é em favor deste amor de novela barata. Não esqueça que, quando o seu parceiro for embora, a dor vai ser muito maior se você deixou de ser quem era e o que restou só tem sentido junto com a outra pessoa.

7. Buscar o que é bom. Afastar o que é ruim.
Faça uma lista de tudo o que lhe traz satisfação sem causar culpa (gente, coisas, atividades, etc) e se programe para ter mais destes prazeres em sua vida.
Faça outra lista parecida, com tudo o que lhe incomoda ou deixa triste, e tente resolver o que pode ser resolvido. Se não houver solução, procure então se afastar do que lhe faz mal.

8. Ser útil.
Tenha a certeza de ser útil e tente se ocupar com algo realmente importante para alguém ou para muitos, seja um trabalho remunerado ou voluntário, seja numa empresa ou na família, seja para você ou para a sociedade. Poucas coisas trazem mais satisfação e alegria do que saber que você está fazendo algo de bom e necessário.

9. Trabalho e parceiro: Ame-os ou deixe-os.
Muito mais importante do que uma pretensa segurança que algo parece nos dar é o sentir-se bem com este algo. Se ir para o seu trabalho lhe deixa infeliz e você já tentou de tudo (inclusive análise) para mudar a situação, sem sucesso, não há porque se torturar, tenha coragem e mude de vida. Se você se sente melhor sozinho do que com seu parceiro, algo está muito errado, o amor não deveria rimar com dor, tente resolver dialogando. Se depois de muita conversa nada melhorou, novamente tenha coragem e saia desta relação.

10. Mexer-se.
Ficar parado é um convite à depressão, por isto não deixe de trabalhar nem de estar em constante atividade. O trabalho aumenta a autoestima e é quase impossível ser feliz sem se sentir útil e sem pelo menos um pouquinho de dinheiro para as mínimas necessidades que todos temos.
Já o exercício físico libera, entre outros, um neurotransmissor chamado endorfina, a morfina interna, também liberado durante o orgasmo. Resultado: uma sensação de bem-estar e de alegria intensa. Preciso dizer mais?

11. Gentileza.
Seja bom e gentil com todas as pessoas. Compartilhe e multiplique o seu bom astral com todos ao seu redor. Ajude sempre que possível. Saiba elogiar a todo aquele que faz por merecer da mesma maneira que o advertiria se cometesse um erro. A reação em cadeia que se produz pode criar um ambiente muito mais agradável ao seu redor, o que contribui para perpetuar a sua felicidade.

12. Humildade e sabedoria.
Esteja sempre pronto a aprender com todos sem exceção e, se achar pertinente, ensine (apenas o que realmente sabe). Se errar, não tenha vergonha de pedir desculpas. Se não concordar com algo, deixe claro. Não discuta com quem não sabe o que diz, nem tente defender um argumento que você não tem certeza. Ceder não é sinal de fraqueza, mas de sabedoria.

13. Personalidade.
Não tente ser ninguém diferente daquilo que te faz sentir bem. Não tente trocar a sua essência pela de nenhuma outra pessoa, famosa ou não. Vista a roupa que te agrada e te dá conforto, corte o cabelo como achar melhor, não se prenda à ditadura da moda (ela muda todo ano), procure não ser fútil. Desligue a televisão, leia bons livros, cultive seu cérebro, exercite a reflexão. Tente descobrir quem você é realmente e creia em algo (ou não creia) baseado em suas reflexões, não naquilo que alguém te empurrou como verdade inquestionável. 

14. Perdoar.
Errar é humano. Todo mundo comete erros, sem exceção, por isto a capacidade de perdoar é um quesito indispensável para quem busca ser feliz. Saiba perdoar e seguir em frente, sem ficar eternamente mastigando o veneno do rancor que só vai fazer mal a você mesmo. Veja bem, isto não quer dizer que você vá simplesmente esquecer o delito, apenas que é capaz de superar o desconforto. Da mesma forma, quando você erra, lembre-se que é muito mais fácil receber alguma coisa se a gente pede, portanto peça perdão. 

15. Válvula de escape.
Tenha um hobby. Seja pintar, seja ler, seja escrever, seja cantar, seja tocar um instrumento, seja colecionar qualquer coisa, seja lá o que for. Há horas em que parece que a gente, assim como uma panela de pressão, está pronto a explodir. Nestas horas a melhor válvula de escape é fazer o que mais se gosta. Eu mesmo, a vida toda, em momentos em que poderia matar um infeliz de tanta raiva ou em momentos em que um tremendo stress se traduzia em uma verdadeira dor física incapacitante, obtive alívio quase imediato me fechando em uma peça e tocando violão ou cantando baixinho.

16. A felicidade só vale se for genuína.
Não a busque em ninguém além de você mesmo. Se a felicidade for vinculada a alguém, a alguma coisa ou a alguma situação, estará fadada ao fracasso, pois tudo fatalmente um dia acaba. Já a felicidade verdadeira se alimenta dela mesma e nos mantém de pé mesmo depois das piores decepções e perdas. É claro que sofre abalos pela dor, pelas perdas, pelo luto, mas se for real jamais se acaba.
    
[12/02/2013 ~  Texto de Urbano Leonel Sant' Anna - Médico por formação, escritor, músico e  filósofo por gosto e opção.]




8 comentários:

  1. Que bonito que ficou o Minitratado aqui, Du! Não esqueceste de dizer que era de um filósofo de meia-tigela? rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não esqueci, porque não é. :)

      Excluir
  2. Já sigo esse receituário, Du!! É muito bom constatar que mais pessoas pensam como a gente!
    Parabéns ao Urbano pelo Minitratado, que de mini não tem nada! Afinal, ao ser aplicado, muitas mudanças acontecerão na vida de quem o adotar!
    Parabéns por pubicá-lo, Du!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ideia ao publicar aqui foi exatamente esta Luminha, que mais pessoas tivessem acesso às 'dicas' que são tão simples e ao mesmo tempo, tão complexas quando se tenta aplicá-las cotidianamente... uma preciosidade este tratado que como você mesma disse, de mini não tem nada!
      Beijos, Luz!

      Excluir
  3. Adorei o Minitratado, Du!!
    Bons conselhos a serem seguidos.
    Fique com Deus.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Que lindo o seu blog! Adorei conhecer!Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Luciana, seja sempre bem-vinda aqui! :)

      Excluir

^ Suba