17 de fev de 2013

do que eu ainda não sei...


Quando a gente pensa que já sabe tudo, que já aprendeu o que podia da vida, ela chega sem dó e dá uma rasteira na gente só pra mostrar que quem entende das coisas,  é sempre (e só) ela mesma...

E hoje  é assim, exatamente assim que me sinto em relação a tudo o que aprendi da vida até agora:

...quase um passarinho, sem ninho ou;
uma janela no térreo sem proteção;
uma vela apagada sem saber onde guardei os fósforos na escuridão;
um navio atracado no cais, abandonado em corrosão.

São tantas incertezas e vazios impostos por mim mesma, que já não me encontro mais. O silêncio faz de mim fortaleza e fraqueza e no momento (com toda franqueza) tanto faz!

Sou uma espécie de lua minguante esperando o seu instante de crescer. É um período transitório (eu bem sei) assim como meu próprio ser, contraditório não por opção, mas por que Deus me fez assim humana e com tantos defeitos, que o mais sensato a fazer é me aceitar, custe o que custar.

[ Dulce Miller]

Imagem daqui




3 comentários:

  1. Esse texto é tão eu <3
    Você escreve divinamente flor !

    Beijinhos,
    Lia ¨
    www.limaoealecrim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Transitoriedade - é disso que a vida se compõe.
    Belo texto! :)

    ResponderExcluir
  3. permanência da coragem na transitoriedade dos dias!

    ResponderExcluir

 

a moça do sonho Template by Ipietoon Cute Blog Design and Waterpark Gambang