A traficante do amor

09/03/2013


Ela vivia aquela história com a intensidade de quem sabe que tudo pode terminar a qualquer momento. E foi assim, como se atirar num abismo e absorver cada pedacinho de todas as lembranças, cada fragmento espalhado nos ventos de uma memória congestionada de sentimentos ambíguos, porém verdadeiros.

Histórias mal resolvidas são angustiantes, mas não deixam de ser uma espécie de alimento para um coração que vivia traficando amor. Era frustrante, ela sabia, mas se a ilusão acabasse seria bem pior. Os restos e raspas do que parecia imortal poderiam ser traumatizantes naquele instante, porém não havia outra opção, infelizmente, não...

E então ela pensava: 'Ou vivemos nossa história ou fugimos dela e eternamente imaginamos como poderia ter sido, se...' como  cantava  Djavan, ela não suportava um 'Se'!

Mas... e ele?

Não importava nem um pouco. Importava mesmo era satisfazer seus desejos de qualquer maneira. Esta era ela e seria sempre e só, ela. E ninguém tinha nada a ver com suas escolhas.

O amor foi seu algoz, o seu pesadelo mais feroz... mas com o tempo veio a cura. E agora ela fazia o que queria com ele.

[ Dulce Miller ]


imagem daqui


3 comentários:

  1. Vingança boa...Lindo conto! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Certamente, uma moça corajosa. :) Belo texto!

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Dulce, mais uma vez passando por aqui para dizer o quanto este blog é lindo e por tanto o quanto você é linda também. Uma ótima semana. Bjos no coração.

    ResponderExcluir

^ Suba