De tudo o que ficou em mim, eu resumo assim...

24/03/2013


...da semana que passou, o que ficou.

A música



O (re)verso.
Vou te pedir que fique. Mesmo que o futuro seja de incertezas, mesmo que não haja nada duradouro prescrito pra gente. Esse é um pedido egoísta, porque na verdade eu sei que se nada der realmente certo, vou ficar sem chão. Mas por outro lado, posso te fazer feliz também. É um risco. Eu pulo, se você me der a mão.
[ Caio Fernando Abreu ]

A frase 


O Vídeo - Mia Couto




A imagem




O Livro
"Outro dia me pus a pensar que sou semelhante às mulheres da literatura de Érico Veríssimo. Aquelas que enquanto os homens se ocupavam da guerra, elas se ocupavam do tempo e do vento. Eu não tenho muitas definições a meu respeito; apenas respeito a dor de cada hora, a esperança de cada momento. E, se isso me define, então sou a dor que sabe esperar."


O Poema

É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.
É urgente destruir certas palavras, ódio, solidão e crueldade, alguns lamentos, muitas espadas.
É urgente inventar alegria, multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios e manhãs claras.
Cai o silêncio nos ombros e a luz impura, até doer.
É urgente o amor,
é urgente permanecer...
[ Eugênio de Andrade ]

O Filme 


O Texto


"Eu duvido. Duvido que você não chame meu nome quando você sente falta de alguém, duvido que não sinta falta do meu carinho sempre tão sincero, falta de me contar como foi seu dia, as histórias da sua vida que sempre foram pra mim melhor do que qualquer novela. Duvido que você não me procure nas biscates que você pega por aí, sempre tão vazias. Vazias igual a sua liberdade idiota que nunca te serviu pra porra nenhuma. Talvez esse seja o nosso problema, eu sou completa demais pra sua vidinha mais ou menos. Eu sinto, eu penso, eu falo, eu te conheço, isso te assusta né? “Tô invadindo seu espaço? Desculpa.” Essa fui eu, durante todo esse tempo, me desculpando por que mesmo? Me diminui pra você ficar maior, pra você não me perceber entrando na sua vida. Se você pudesse sentir o quanto isso dói você quem iria se desculpar. Eu queria ligar pra você, e te falar sem pausas tudo que eu ensaio toda vez que você me magoa, mas nunca digo pra não te magoar, afinal você não me faz mal por mal, e talvez esse seja o pior mal que se possa fazer a alguém, tão natural. Bobagem, como se algum ensaio no mundo fosse me deixar firme depois do seu ‘alô’. Então é isso, tô te escrevendo. Sempre fui mais segura com as palavras. Tô te escrevendo pra talvez um dia te enviar, mas to escrevendo. E não é sobre você dessa vez, é sobre mim. Sobre o quanto eu sou boa, igual a mim tá difícil meu bem. Sobre como eu não preciso usar cinco centímetros de saia e um decote no umbigo pra ser mulher; Sobre como, ainda assim, só eu sei fazer de você um homem. Sobre muitas coisas, mas principalmente, sobre quantos homens eu poderia estar saindo nesse exato minuto. Não é com você, é comigo sabe? Por exemplo, EU te idealizo nesse momento como o melhor, não que você seja. Acho legal você brincar com a sorte, mas se eu fosse você não teria tanta certeza da minha posse assim. Talvez ninguém tenha te avisado ainda, então desculpa se eu vou te dar essa notícia sem te preparar antes, mas a porra do mundo não gira em torno do seu umbigo. Ficou chocado? Acontece. Só queria te dar um conselho, em nome da nossa amizade e meu carinho por você, tira uma mão da liberdade e segura um terço. Fica assim, agarrado nas duas coisas sabe? E reza, reza muito pra não aparecer ninguém que mexa comigo enquanto você fica brincando de não saber o que quer. Porque eu sou amor, e ainda que não seja o seu, essa é a minha essência. E você não deve acreditar muito nessa ideia, pelas tantas vezes que eu quase fui, mas um dia eu vou.. sempre foi assim. Mas deixa eu te contar um segredo: se eu for, eu não volto."

[ Tati Bernardi ]



3 comentários:

  1. Gostei de todos os textos ,menos do texto da Tati ( o último ).Não que não seja um baita texto ,magina !É show,tipo: a Tati escreve com maestria incrível!Mas é que é um texto muito triste!Não entendo pessoas que amam indo embora.Não entendo.E meu temperamento é tão complicado que que além de não entender eu NÃO QUERO ENTENDER ,deu pra entender? Rrsrsr...quase ninguém me entende.Mas a verdade é que eu não quero entender nada que machuque ,nada que afronte meus princípios.Claro que isso não é exatemente bom.A gente tem que compreender as razões ,os motivos das pessoas.E eu até tento ( quando não dói na minha pele,porque aí nem sempre eu tenho estrutura de lidar .Não há nada pior pra mim do que machucar as pessoas que eu gosto ou ver as pessoas que eu amo indo,se afastando...Tenho muito medo de machucar pessoas que amo e de que elas me machuquem .Na minha cabeça as pessoas que amam tem que ficar sempre juntas ou no mínimo perto uma das outras e pronto !Mesmo quando as coisas não estejam lá muito boas ,afinal nem todo dia a gente tem que estar super bem né ?Tem dias que qualquer besteirinha fragiliza ,mas é justamente nesses dias que se mede o amor( a capacidade de permanecer ali por saber que é nesses momentos que o outro mais vai precisar da gente e vice versa).Quando chega a um ponto que alguém vira as costas e vai de vez, é porque o amor acabou.E se amor acaba assim tipo: um belo dia acaba...será que era amor mesmo ?Sei não viu ?!!Já vi acontecer com muita gente ,não quero julgar,cada um sabe o que sente.Mas tem coisa que nem gosto de imaginar acontecendo comigo e que inclusive já aconteceram algum dia.Esse texto da Tati mesmo,me deu um frio na barriga (e não foi de prazer ).Acho que é por isso que me isolei tanto de pessoas e estou a tanto tempo só..eu realmente tenho muito pavor de partidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas que a Tati escreveu um monteee de coisa que dá vontade de escrever pra alguem que eu conheço....ahhh ela escreveu ! A sorte que essa pessoa tem é que realmente eu tenho muito medo de partir ( meu coração,o dele,e nossos caminhos ).Aí eu vou ficando ,orando pra não me atacar a gastrite nervosa

      Excluir
  2. May!
    Deja vous, é o que me remete este texto, em forma de crônica intimista. Remete a algo que já houve, óbvio. por bem escrito traz certa melancolia, mas tambem lembranças bonitas que houveram. Enquanto duraram, valem a pena.
    E viver é isso. Esatamente como transpirou.
    Lindissima forma de lidar com as palavras através de seus sentimentos.
    meu carinho e afeto
    José Carlos Bortoloti
    Passo Fundo - RS
    www.epensarnãodoi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

^ Suba