E se me achar esquisita...

16/04/2013

Imagem daqui

E às vezes eu sei, sou esquisita.

Preciso de café mesmo que acorde na hora do almoço, não tem jeito, é vício. Chego a ficar dias sem colocar o nariz pra fora de casa, uma perfeita anti-social. Me isolo de propósito e pior, gosto disso. Prefiro a companhia dos meus pensamentos e do silêncio que eu sempre transformo em alguma coisa… e também me refugio na música. Fujo dos meus amigos geralmente quando mais preciso deles. E choro muito. E quando crio coragem pra conversar, gosto dos puxões de orelha que me fazem acordar, porque durmo em minhas confusões e nem percebo... depois dou muita risada de mim mesma!

As pessoas que me magoaram fizeram comigo só o que eu deixei que fizessem, o difícil foi entender isto sozinha, mas no fundo, sei que tenho consciência de todas as minhas fraquezas. E certezas.

Sei o quanto consigo ser chata e teimosa. Mas quem não é? 
Eu sou assim, entre erros e acertos,  um amontoado de defeitos!
E então eu escrevo o que sinto, o que invento e o que vejo por aí… e parece que conquistei um monte de amigos sendo assim, esquisita, meio-bicho-do-mato, teimosa, chorona, impulsiva, bobona…

Tem alguma explicação pra isso? 
Não sei. O importante mesmo é que não falte café. Nem fé.




“E se me achar esquisita,
respeite também.
até eu fui obrigada a me respeitar.”
[Clarice Lispector]

5 comentários:

  1. Sei bem como é isso, Dulce, tenho dessas ondas. E tambem sei como é dificil pra nós, que os outros entendam sem se machucar, essa nossa ausencia.
    Ma tu sabe, que eu gosto de ser assim, me importo não. Eu ando aprendendo a me amar desesperadamente.Sou espaçosa e tenho aprendido a ser generosa também comigo.
    Primeiro eu, segundo eu, terceiro eu.... pois é. Bjssssssssssss, fica com Deus

    ResponderExcluir
  2. Somos tantas né Dulce, que de vez em quando uma outra face de nós mesmas, ainda tímida, ainda hesitante se mostra, e ai somos pouco tolerantes. A cidade é que se tornou um "grande mato", são raros os recantos de sentar, encontrar e, quem sabe, de chorar. Por isso escrever é um lugar de se ater. Muitas vezes, também vem o brado, meu reino por um café expresso. De algum modo ele nos iça de um poço qualquer sem vozes, nem letras. Bom passar por aqui. Beijos no coração da moça que escreve e lê como se flutuasse. Segue o meu, sempre, querer bem.

    ResponderExcluir
  3. Também sou avessa à socialização, prefiro Meu Canto a multidões. Não considero estranheza, considero isso uma peculiaridade, uma necessidade de estarmos a sós com nós mesmos. Esses momentos são bons e lógico, um café pra acompanhar é perfeito!

    ;D

    Criei uma postagem no Meu Canto, uma homenagem para um amor que se foi. Aguardo sua visita: cantodalianah.blogspot.com.

    :D

    ResponderExcluir
  4. Aprendo contigo a me aceitar do jeito que sou. O que mais me atrapalhava é que eu tinha a necessidade de explicar cada mudança. :)

    ResponderExcluir
  5. Às vezes também me acho um tanto esquisita, rs. Mas acredito que mulheres assim tem uma personalidade forte! Adorei teu blog, e estou seguindo, se quiser olhar o meu: http://blogdalikha.blogspot.com/

    ResponderExcluir

^ Suba