Do amor (re)partido

08/09/2013


No meu castelo tinhas o reinado e a bênção
te fiz rei coroado em pensamento
na torre, revelei confissões absurdas
e nas confusões do nosso altar, me perdi feito pó ao vento

Para toda humanidade, já não seria novidade
mas eu banharia em lágrimas e beijos teus pés, com total bondade
por tuas horas comigo repartidas e por minhas idas e vindas
fugas tardias, inteira de medos... e escondida verdade. 

Não sei mais quem somos, ou quem fomos
nos perdemos no labirinto do jardim secreto daquele amor 
por certo, não me coube merecimento, 
teu querer foi de anjo-alado e o meu... quimera-dor.

[ Dulce Miller ]
Imagem daqui

3 comentários:

  1. Me identifiquei com a história...Apenas não penso mais que fui eu quem não o mereci.Não tenho culpa alguma se ele não entendeu o valor do que eu estava disposta a confiar-lhe.Minha consciência está tranquila,sinceramente não faria nada diferente.Se ele fosse realmente a pessoa certa teria entendido.

    ResponderExcluir
  2. Dulce que lindo! E como a May, também me identifiquei. Por uns tempos até pensei que eu não o merecia. Hoje já penso o contrário. Ele não alcançou a profundidade e elevação de meu amor. Paciência! mas que a beleza do amor e da poesia fica, ah isso não tenho dúvida. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Lembrei de uma frase de Grey's Anatomy: é possível que duas pessoas possam se amar e ainda assim, não ser suficiente?

    ResponderExcluir

^ Suba