Amém.

14/11/2013



Que o tempo restante de vida, 
seja para mim concedido por graça e merecimento.
Que minhas fraquezas de ontem e hoje, 
não me ceguem a vontade de seguir esperança e água, 
pois que eu seja verdadeira nos meus afetos e tão bem, 
se houverem desentendimentos.

Que os anos que me conferem maturidade 
me ensinem a ter mais paciência e serenidade 
para lidar com (des)iguais, 
e, se ainda há tempo, 
que eu saiba aproveitar as estradas que vou percorrer 
em  todos os seus finais.

Nesta vida com passagem só de ida, 
eu quero bilhete duplo
com gelo, muito açúcar e por favor, 
doses generosas de amor 
...do jeito que for.

[ Dulce Miller ]
Imagem do Pinterest

3 comentários:

  1. Tenho acompanhado o que escreves ultimamente aqui Dulce, e não imagina o quanto tenho ficado emocionada com alguns dos teus textos. Tens à flor da pele um sensibilidade que rasga, que chega a sangrar, muitas vezes deixando que as palavras se encapem de uma frieza aparente como se tudo fizesses para te protegeres dessa mesma sensibilidade. Gosto de te ler. Muito. E senti necessidade de to dizer aqui, assim como de te referir que me darias imenso prazer se me permitires que te homenageie um dia deste no meu cantinho de autora. Permite que a minha alma descanse neste momento junto à tua... pois mais do que parece (temos tanta coisa em comum, Dulce, tanta... que até dói!) Abençoada sejas, Poeta!
    Vóny Ferreira

    ResponderExcluir
  2. Com muito sentimento...
    Um belo texto,
    Por vezes vivemos, outras sofremos;

    bjs Dulce
    Célia

    ResponderExcluir
  3. Um coração tocado e amém.
    Que coisa linda!

    ResponderExcluir

^ Suba