Um amor pode morrer?

23/12/2013


Alguém aí já sentiu a morte de um amor na própria pele?
Do que sentimos mais falta? 
Das sensações que o amor provoca ou do objeto do amor em si? 
Tudo está tão distante e ao mesmo tempo tão perto...

O que aconteceu para provocar tanto amor não existe mais há muito tempo, não sobreviveram gestos, tampouco palavras. Então porque é tão difícil esquecer?

Estar apaixonado é um sentimento fantástico. Deve ser isso então. É mais difícil se livrar do vício do amor do que do próprio "agente causador".

O vazio que é imenso acaba sendo confundido com saudade e isso provoca muita dor. E sofremos porque estamos sós, sem direção.

Então um dia acordamos e percebemos a diferença.

"O amor está em nós e na capacidade que temos de alimentá-lo".

Lutar por esse sentimento e pelo objeto amado de repente, já não faz mais sentido algum.
Aceitação, entendimento e resignação são a solução e o remédio.
Libertação das amarras do amor.

Nós somos o nosso próprio Norte.
[ Dulce Miller ]
Imagem daqui

2 comentários:

  1. Amei o texto. Concordo plenamente com você, a morte anunciada de um amor dói, mas temos que aceitar e e colocar todo esse amor que temos por outra pessoa e jogar para dentro de nós. Assim será mais fácil preencher o vazio que fica. Por que o pior é a perca do hábito, da rotina. Isso é que dói...
    Beijos e Feliz Natal
    Adriana

    ResponderExcluir
  2. Que nenhuma condição mesmo mesquinha. Pode compreender e povoar...
    O mistério da imensidão onde o tempo caminha
    A paz que se adivinha...~
    Sem nunca chegar... Assim é o amor para além da rotina...

    Um bom Ano Novo... Célia Sousa

    ResponderExcluir

^ Suba